Nova relação

Nelson Nhachungue oficializa nova relação e espera o terceiro filho. Redacção 31/08/2020 CELEBRIDADES Sem comentários. Advertisement. O cantor e jurista moçambicano, Nelson Nhachungue, contraiu o matrimónio tradicional (lobolo) neste fim-de-semana. Nova Relação de António Coimbra de Matos Para recomendar esta obra a um amigo basta preencher o seu nome e email, bem como o nome e email da pessoa a quem pretende fazer a sugestão. Se quiser pode ainda acrescentar um pequeno comentário, de seguida clique em 'confirmar'. Nova denúncia contra Evo Morales por suposta relação com menor . 00:00. 24/08/2020 16h49 . La Paz, 24 Ago 2020 (AFP) - O Ministério da Justiça boliviano apresentou uma segunda denúncia contra o ex-presidente Evo Morales nesta segunda-feira (24) por outro suposto caso de relação com uma menor, com quem ele teria um filho, informou o vice ... A Nova Relação Médico-Paciente Colunistas. Entrar. Compartilhar. Copiar link Whatsapp Telegram Facebook. Compartilhar. Júlia Elias. 6 min • 280 days ago. Ver Referências. Em um passado não muito distante, o médico era visto como um profissional inserido no âmbito familiar, refletindo um caráter paternalista da prestação do ... X - A nova relação com o saber. p. 157 -168… Slideshare uses cookies to improve functionality and performance, and to provide you with relevant advertising. If you continue browsing the site, you agree to the use of cookies on this website. Em 1 mês, mais de mil jogos americanos foram vendidos e a ideia despretensiosa se transformou em um sucesso instantâneo - sinal de que a intuição da empresária sobre essa nova relação das ... Terminar uma relação é sempre uma decisão difícil, a menos que se leve a vida de forma absolutamente despreocupada e irresponsável. Mesmo quando alguém assume que deixou de amar o seu companheiro, sente-se de algum modo responsável pelo bem-estar do outro, pelo que muitas vezes há sentimentos de pena e até de culpa que precisam de ser geridos. A nova NR-9 e sua relação com o PGR/GRO. Com a nova versão da NR-1, passaremos a ter um Programa de Gerenciamento de Riscos, que alcançará todos os riscos ocupacionais. Com isso, o nosso conhecido PPRA acabará (lembrando que a nova NR-9 só entra em vigor em março de 2021!). Nova relação trabalhista Do Diário do Grande ABC 12/09/2020 16:46 O acordo proposto pela Volkswagen para evitar demissão em massa em suas quatro unidades no Brasil, sendo a maior delas em ... Para celebrar a nova relação com o Congresso — em meio à pandemia da Covid-19 que já vitimou mais de 110 mil brasileiros –, Bolsonaro fará um novo almoço nos próximos dias para receber parlamentares de partidos como o PSDB, o DEM e o MDB.

Gestação Coletiva de Matrizes Suínas: tudo o que você precisa saber

2020.09.23 20:59 Vedovati_Pisos Gestação Coletiva de Matrizes Suínas: tudo o que você precisa saber

A gestação coletiva de matrizes suínas é um novo modelo que traz mais competitividade para a suinocultura nacional, proporciona qualidade de vida às porcas no período da prenhez e ainda faz vivê-las por mais tempo. É a gestação coletiva, que já tem sido adotada por produtores brasileiros, visando a atender os princípios de bem-estar animal e as tendências do mercado internacional.
Quando utilizada corretamente pelo criador de suínos, junto a outros elementos importantes como um pisos para baias suínas adequados, aumenta o conforto e bem-estar das matrizes. O que melhora a qualidade e eficiência da reprodução dos animais dentro da fazenda.

O que é bem-estar animal?

O bem-estar animal não é mais opcional, e sim uma exigência regulatória de mercado. Segundo Broom e Fraser (1986), o bem-estar (BEA) de um indivíduo é seu estado em relação às suas tentativas de adaptar-se ao seu ambiente.
Importante esclarecer e especificar o que é bem-estar, segundo Hanne Martine Strabursvik Bem estar é a “ciência que estuda o efeito do manejo e tratamento do animal e busca efetivas soluções para evitar sofrimento desnecessário, e também limitar perdas econômicas”.
Assim, podemos dizer que o Bem-Estar Animal (BEA) pode ser definido como:
O estado físico e mental de um animal em relação às condições em que vive e morre.
Um animal experimenta um bom grau de bem-estar se o animal estiver saudável, confortável, bem nutrido, seguro, não estiver sofrendo de estados desagradáveis, como dor, medo e angústia, e for capaz de expressar comportamentos que são importantes para seu estado físico e mental.
A gestação coletiva de suínos já é bastante conhecida em diversos países do mundo. E a eficiência de sua aplicação é validada por suinocultores de praticamente todos os cantos do mundo.
Neste conteúdo, você vai saber tudo sobre a gestação coletiva de suínos. O que ela é, como pode ser implementada, seu funcionamento e as vantagens e benefícios para os suinocultores que a praticam.

Gestação coletiva de suínos, o que ela é afinal de contas

A gestação coletiva de matrizes suínas é uma das mais novas adesões em boas práticas para melhorar a suinocultura.
Essa prática consiste na substituição da forma como as matrizes suínas são mantidas em confinamento durante o período de gestação. Ela se baseia na mudança de um modelo individual para um coletivo no confinamento das matrizes prenhas.
A prática dominante na suinocultura era que cada matriz suína em gestação fosse colocada em uma baia individual. Ela ficaria assim durante toda a gestação, até o nascimento dos leitões.
O sistema de celas de gestação para porcas ainda é o mais usado no Brasil, com fêmeas mantidas isoladas, privadas de interagir com o grupo, andar ou explorar o ambiente.
Desde cerca de 1970, essa foi a prática mais comum no setor, considerada praticamente uma unanimidade. E é bem verdade que o uso de baias individuais melhorou a produtividade das matrizes e a qualidade do ambiente em termos sanitários.
Porém, levar em conta o bem-estar animal é uma necessidade cada dia mais presente. E por isso, mais e mais criadores estão adotando a gestação coletiva. Que nada mais é que passar a colocar as matrizes suínas prenhas em baias coletivas.

Como funciona a gestação coletiva das matrizes suínas

No Brasil, a Embrapa, o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e várias universidades pesquisaram esse novo sistema de produção e estão realizando vários seminários para disseminação da nova metodologia de produção de suínos.
Em sua base, trata-se de colocar os animais em período gestacional em um único alojamento coletivo. Não há uso de baias individuais previstos neste sistema uma vez que esteja completamente assimilado pelo criador de porcos.
O que significa, neste caso, que as matrizes ficam em alojamentos coletivos durante todo o seu período de gestação até o nascimento dos leitões.
Porém, também é possível fazer uso tanto das baias individuais como coletivas durante a gestação das matrizes. Por exemplo, as matrizes podem ser colocadas em baias individuais durante um período da gestação (geralmente 4 a 5 semanas iniciais), e no período restante elas podem ser colocadas em baias de gestação coletivas.
A principal finalidade do sistema de gestação coletiva é dar mais conforto e bem-estar as matrizes, melhorando a sua saúde. O que também estimula uma melhor qualidade da produção de leitões e, futuramente, da carne dos animais.

Como essa melhoria no conforto e bem-estar é alcançado por essa prática

As baias coletivas permitem que as matrizes suínas possam se expressar e se manifestar com naturalidade durante a gestação.
Esta prática visa permitir que as porcas possam caminhar, se espreguiçar, fuçar a terra e muito mais. Sem falar que os suínos são animais gregários, que gostam de formar grupos de convívio. O que é estimulado pela gestação coletiva em oposição a gestação em gaiolas ou baias individuais.
Enfim, nas baias coletivas é possível que as matrizes possam agir com mais naturalidade e liberdade. E isso gera menos estresse para o animal pois permite que elas caminhem (o que melhora a qualidade das articulações, músculos e ossos), permite que elas interajam com as companheiras. Isso torna o ambiente mais complexo e mais apropriado para elas.
Ou seja, o uso das baias coletivas dá as matrizes um ambiente mais livre e que — por permitir que o animal se mova livremente — gera mais conforto e bem-estar durante a gestação dos leitões.
Mas o aumento do conforto e bem-estar não é garantido apenas pelo uso das baias coletivas. E existem requisitos gerais para que essas baias promovam mais qualidade de vida as matrizes durante a gestação.

Requisitos de espaço nas baias coletivas

Ao colocar a gestação coletiva de matrizes suínas na prática é importante que o criador tome alguns cuidados com requisitos para as baias.
Um deles é a densidade por matriz suína dentro da cocheira de gestação coletiva. A densidade mínima necessária para garantir o espaço adequado para as matrizes é de 2,4m² por matriz.
Sem essa densidade de espaço por matriz, as porcas gestantes não conseguem se movimentar bem e se acomodar corretamente nas baias. E com isso, a gestação coletiva de matrizes suínas fica prejudicada, pois não há como gerar conforto e bem-estar para os animais em espaços apertados.
É preciso levar esse detalhe em conta sempre na hora de começar a trabalhar com a gestação coletiva.

A gestação coletiva aumenta a produtividade das matrizes

Quando se fala de gestação coletiva de matrizes suínas, existe um mito comum de que ela poderia causar aborto. A base para essa ideia é que as porcas poderiam se movimentar muito durante a gestação, bem como brigarem entre si.
E esses dois fatores, movimentação excessiva e brigas entre as porcas, podem prejudicar os fetos e levar a morte prematura dos leitões.
No entanto, estudos recentes feitos pela Embrapa, Mapa e a Associação Brasileira de Criadores comprovam que isso não é verdade.
A taxa de parição é maior entre porcas que passam boa parte ou toda sua gestação em baias coletivas. Em muitas das análises, os índices de nascimento foram superiores a 90%, o que é uma significativa melhora na produtividade da criação.
Vale ressaltar ainda que as brigas entre as matrizes geralmente ocorrem quando há problemas no manejo e observação do sistema. Por exemplo, quando a ração não é distribuída em quantidades suficientes para as matrizes, podem haver brigas pelo recurso entre os animais.
Outro fator que pode levar a brigas e ferimentos nos animais em gestação é uma densidade inadequada por animal nas baias coletivas.

Alguns dados importantes da gestação coletiva

Até 2026, JBS, BRF e Aurora devem adotar o uso de gestação coletiva em todo seu plantel
Segundo o médico veterinário Cleandro Pazinato, o sistema de alojamento de gêmeas de gestação coletiva é um modelo de produção que tem tido uma aderência cada vez maior.
Nos Estados Unidos praticamente 1/3 de suas matrizes já são alojadas em gestação coletiva, na Austrália chegando próximo de 100%, Nova Zelândia já com 100% e a União Europeia desde 2013 com 100% do seu plantel alojada em baias de gestação coletiva.
A JBS S.A. confirmou que irá trabalhar para que toda a sua cadeia de fornecimento de suínos seja adaptada ao sistema de gestação coletiva até 2025, abandonando totalmente o uso de celas de gestação

Desafios da gestação coletiva para suinocultores

A gestação coletiva de matrizes suínas é uma prática que está se popularizando no Brasil. E que vai continuar ganhando mais e mais espaço no cenário nacional da suinocultura por conta dos benefícios que trás a criação de porcas.
Mesmo assim, é bom salientar que a gestação coletiva também possui seus desafios. Tanto na implementação quanto no trabalho contínuo com este sistema em uma criação de matrizes.
Um desses desafios é que a gestação coletiva é um sistema que demanda maior atenção e qualidade de manejo e supervisão das matrizes. É o que aponta o pesquisador Osmar Dalla Costa, que faz parte da unidade de suínos e aves da Embrapa.

Custos e oportunidades da adoção do sistema

O sistema de gestão coletiva de matrizes suínas gera, em algumas vezes, certa apreensão dos suinocultores.
Essa apreensão não é relacionada a um possível medo sobre o resultado entregue. A mudança para a gestação coletiva tem respaldo internacional de países como os Estados Unidos e Europa. A preocupação dos suinocultores com estes sistemas recai sobre os custos iniciais de aplicação.
Dependendo do sistema, o suinocultor precisará alterar estruturalmente a granja. Aquisição de equipamentos, adoção de novas técnicas de manejo e mesmo o treinamento de colaboradores está previsto entre os custos de implementação da gestação coletiva.
Porém, o aumento de produtividade e a abertura a novos mercados consumidores (estes preocupados com a elevação na qualidade da carne que o bem-estar animal gera) tornam o investimento compensatório.

A importância de um piso de qualidade para as baias

O piso das baias é um dos elementos chave para a boa implementação de um sistema de gestação coletiva.
É importante que a baia das matrizes conte com pisos de qualidade e que sejam adequados para suínos. Afinal, pisos ruins para as baias podem ser um ponto que vai gerar estresse no animal, podendo assim prejudicar a prática da gestação coletiva.
Pisos de concreto são abrasivos, ou seja causa o desgaste dos cascos das matrizes, e isso, predispõe a porca a rachaduras e lesões nos cascos.
E não só isso, pisos inadequados também podem levar as porcas a sofrerem com a claudicação.
Ao colocar em prática a gestação em grupos de matrizes suínas, o criador deve garantir que as baias tenham um piso de borracha adequado.
Tanto para garantir que os animais possam se locomover com segurança, evitando escorregões, quanto diminuindo a ocorrência de problemas nos cascos.

A Vedovati Pisos é o lugar certo para os pisos das suas baias coletivas

A Vedovati Pisos é uma das principais referências nacionais quando o assunto é pisos de borracha para animais (bovinos, suínos e equinos). Com anos de experiência em diversos segmentos pisos e estrados de borracha, temos compromissos em garantir qualidade, eficiência e o melhor retorno para o suinocultor.
Pecuaristas criadores de diversas espécies, entre elas suinocultores, encontram em nossos pisos o conforto e segurança que seus animais precisam.
Você que está aderindo a gestação coletiva de matrizes suínas confira hoje mesmo o nosso catálogo de pisos para suínos.
Com certeza, o piso de borracha adequado que mais atende a necessidade de suas matrizes está lá.
Quero conferir os pisos para matrizes suínas em gestação de grupo agora mesmo
PS: Participou como colaborador deste artigo Thiago Bernardino de Almeida, DVM, MSc, PHD Candidate.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/gestacao-coletiva/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.23 17:57 ChatubinhoLima Minha casa é um ambiente tóxico

Eu tenho 16 anos, eu moro com os meus pais e a minha irmã mais nova, desde os meus 8 anos, eu percebi que a minha casa não é um ambiente muito legal, o clima aqui é sempre pesado, e eu sinceramente acho que o maior problema é o meu pai, minha mãe nunca falou pra mim, mas eu suspeito que ela tenha depressão e talvez ela tenha desenvolvido graças ao meu pai, ele é uma pessoa que consegue manipular os outros muito fácil, e a minha mãe é muito insegura, e acaba sendo submissa demais a ele, ela não tem opinião própria e faz tudo que ele pede. Eu comecei recentemente a confrontar ele, não de uma forma grotesca, mas sim apontando coisas que eu acredito que não sejam corretas em relação ao nosso relacionamento, mas ele sempre usa o mesmo argumento, de que a gente nunca passou por dificuldade e que eu tenho tudo na mão, realmente não passamos por muitas dificuldades, eu tive e tenho vários brinquedos que eram caros, eu tenho dois videogames, eu tenho um trabalho de meio período na loja da minha avó, mas eu sinceramente trocaria qualquer uma dessas coisas pra ter uma relação boa com ele, ele é uma pessoa bastante hierárquica e não aceita estar errado ou contrariado, ele também gosta de apontar os erros na cara dos outros, não sabe medir as palavras e sempre magoa os outros, faz uma pressão psicológica escrota com os funcionários e familiares dele.
Eu nunca tive uma privacidade muito grande aqui em casa, eu comecei a ter a liberdade de fechar a minha porta agora, poder ficar sozinho em casa, ter uma liberdade maior com o meu dinheiro que eu ganho no trabalho, entre coisas assim, graças a isso, ele começou a fazer o que ele fazia antes só que de uma forma mais agressiva, eu tenho um pouco de medo do que ele pode fazer com esse "complexo de superioridade" dele, ele começou a ir pro psicologo esse ano, a mesma psicóloga que eu vou, mas parece que tudo que ela fala pra ele fazer, ele faz o oposto, eu já tentei conversar com ele centenas de vezes, mas nunca parece funcionar, porque ele não quer entender o que eu falo e começa a falar que eu culpo ele por tudo e não vejo o meus erros, sendo que eu vejo muito bem os meus erros e sempre aponto os meus erros antes de apontar os dele, eu não sei mais o que fazer em relação a isso...
submitted by ChatubinhoLima to desabafos [link] [comments]


2020.09.23 17:49 Vedovati_Pisos Gado de Corte: como garantir seu bem-estar e preservar a qualidade da carne

Você, criador de bovinos para abate, tem tomado as ações certas para promover o bem-estar do seu gado de corte?

A qualidade de vida durante toda a criação de animais para abate é algo cada vez mais exigido no mundo todo. Os principais mercados de carne do planeta cobram alta qualidade na carne.

A qualidade de vida, conforto e bem-estar dos animais é fator essencial para garantir qualidade na carne. E por isso, esses fatores devem ser observados por produtores de gado de corte por exemplo.

Neste artigo, você vai entender como o bem-estar influencia na qualidade da carne. Além disso, vai aprender como promover essa qualidade e assim abrir mais mercados para os seu gado de corte.

Bem-estar e as novas exigências para o mercado de carne bovina no Brasil e no mundo
A produção e consumo de carne bovina tem crescido nos últimos anos em todo o mundo. E o Brasil é um dos maiores protagonistas deste crescimento ao longo do tempo. Pois é o principal exportador de carne bovina no mundo, e o segundo maior produtor de gado de corte do planeta.

Com esse crescimento, as exigências de muitos mercados compradores de carnes é cada vez maior. Muitos países apresentam diversos requisitos para serem observados por um produtor ou empresas de fornecimento de carne.

E entre essas exigências estão surgindo novos requisitos que cobrem a criação do gado para abate. Demandas que afetam a qualidade da carne de forma direta, mas que só agora tem ganho a devida atenção dos mercados compradores.

Entre elas estão a qualidade de vida, bem-estar e conforto durante toda a criação, manejo, transporte e abate dos animais.

Hoje em dia, os principais mercados internacionais para a carne brasileira estão cobrando como nunca a qualidade de vida na produção de gado de abate. E o motivo para essa cobrança é muito simples.

A forma como o animal é cuidado desde o nascimento até o abate impacta e muito na qualidade final da carne.

Como a qualidade de vida e bem-estar afeta a qualidade da carne do gado de corte
A relação entre o conforto e bem-estar do gado de corte e a qualidade de sua carne está pautada em uma lógica simples. Que é a de quanto melhor está o seu animal em saúde, conforto e bem-estar, melhor é a qualidade da carne.

Ou seja, quanto melhor for as condições de vida, criação e manejo dos bovinos, melhor será sua carne.

Bovinos que vivem em ambientes sujos e desconfortáveis podem desenvolver problemas de saúde. Que podem tornar a sua carne de péssima qualidade, ou até mesmo fazer com que ela seja comprometida e não possa ser aproveitada no mercado.

O emocional também pode comprometer a qualidade da carne do gado de corte.

Assim, por exemplo, bovinos criados em condições estressantes apresentam perdas na qualidade da carne. Isso acontece porque animais em condições de estresse os bovinos produzem uma grande quantidade de hormônios desequilibrada.

Entre os hormônios produzidos estão o cortisol e a adrenalina, que podem causar uma série de alterações metabólicas. E essas alterações podem prejudicar, ao longo do tempo, a formação dos músculos. Que por sua vez prejudica a qualidade da carne.

Já quando é proporcionado conforto, bem-estar e qualidade de vida para o gado de corte os resultados são bem melhores.

Os animais conseguem ter uma formação muscular adequada, que garante uma boa qualidade para a carne.

Como promover mais conforto e bem-estar na criação de gado para abate
Existem diversas ações práticas que podem ser tomadas para garantir uma melhor qualidade da carne do gado de corte.

Elas cuidam de aspectos e cuidados necessários para promover a saúde, conforto, bem-estar e qualidade de vida do gado. E devem ser aplicadas em conjunto para gerar os melhores resultados na qualidade da carne.

Você quer conhecer essas ações e práticas? Então confira abaixo o que você deve fazer para aumentar o conforto e bem-estar do seu gado. Deixando sua carne, dessa forma, muito mais saborosa e pronta para conquistar mais mercados.

Instalações de confinamento adequadas
O primeiro fator que impacta na qualidade da carne de um rebanho de gado de corte são as instalações de confinamento.

Como já citamos neste artigo, bovinos que vivem em condições e situações estressantes tem danos na formação de seus músculos. O que prejudica a qualidade geral da carne produzida.

Instalações de confinamento sujas, pequenas ou inadequadas para bovinos geram estresse e podem causar danos à saúde dos animais. O que é mais uma fonte de perdas e prejuízos na carne e para o criador do gado.

Entre essas instalações estão as áreas de manejo, que tem grande importância para o bem-estar do gado de corte.

Nessas áreas o rebanho costuma entrar correndo até a área de confinamento principal. E nesses casos o risco de dos animais escorregarem e caírem é alto, principalmente devido a pisos lisos e escorregadios. Quedas desse tipo podem provocar lesões leves até a quebra das patas, problemas de cascos e perdas de animais.

Bovinos, assim como outros animais, têm fraturas dos membros inferiores não resta mais nada a fazer se não sacrificar o animal. O que também é um prejuízo considerável para o produtor. Por isso, é fundamental revestir o pisodas áreas de manejo (curral) de gado de corte com pisos emborrachados antiderrapantes.

Também deve se evitar um piso escorregadio pois ele promove e facilita o estresse no animal. Que piora o seu PH e consequentemente diminui a qualidade da carne.

Além das áreas de manejo, instalações como currais de espera, rampas, bretes de atordoamento e outros corredores também devem contar com pisos de borracha antiderrapantes para o gado.

Uma das instalações mais importantes para a criação de gado de corte em confinamento são os currais de manejo anti-stress. Criados por uma das maiores autoridades mundiais na pecuária, esta alternativa que vem para abolir os currais tradicionais é capaz de transformar a qualidade de vida e da carne do seu rebanho.

Currais de manejo anti-stress: uma evolução no manejo e criação de gado de corte em confinamento
De acordo com a americana Temple Grandin, os cuidados adequados no curral de manejo de gado de corte em confinamento é vital para a qualidade de vida dos bovinos.

Grandin é uma referência mundial na pecuária, pois é criadora de um método simplesmente revolucionário.

Conhecida como a criadora do manejo racional de gado, para Temple os bovinos precisam das condições ideais em currais de manejo. Condições estas que visem o bem-estar e a facilitação do comportamento natural dos animais em confinamentos.

Para isso, ela defende que currais de manejo sejam o melhor ambiente possível para o gado de corte em confinamento. Frisando que esses currais devem ser bem iluminados, contar com poucos estímulos visuais e, principalmente, ter pisos antiderrapantes.

Em suas palestras, o uso de um piso de borracha antiderrapante sempre é ressaltado pois bovinos entram em pânico quando começam a escorregar. O que não só gera um grande estresse emocional, como pode causar brigas entre bovinos, lesões e o comprometimento de boa parte da produção.

O curral de manejo anti-stress também é conhecido como curral curvo. Entenda melhor o porquê disso nas próximas linhas.

Entenda o curral de manejo anti-stress curvo
Temple Gandrin defende que os currais de manejo anti-stress deva ser estruturado em curva. Alguns exemplares deste curral o mostram como tendo um padrão circular.

Esse padrão é uma evolução do modelo “quadrado”, tradicional, de currais para confinamento de gado. E ele é recomendado por Gandrin pois permite que os bovinos reproduzam o seu comportamento natural em cativeiro. O que os deixa calmos e confortáveis no ambiente.

Tensões musculares causadas por fatores emocionais e estresse são eliminadas naturalmente. Com um curral de manejo anti-stress o pecuarista não precisa recorrer a outras soluções para acalmar o gado.

Além de reduzir e prevenir tensões e estresse, esse tipo de curral ainda confere ótimos benefícios para o gado e para o pecuarista.

Entre eles estão:

• Aumento na produtividade e melhora na qualidade da carne;
• Redução no desperdício;
• Melhor qualidade da carne do gado de corte;
• Menores danos ao rebanho de bovinos;
• Alta durabilidade da estrutura dos currais anti-stress;
• Fácil manutenção;
• O formato em círculo desses currais dá uma ampla visão do ambiente para o gado, o que melhora o seu humor e evita o estresse.
Essas são algumas das maiores vantagens que a criação de Temple Grandin trás para a pecuária. Com os currais anti-stress, um produtor consegue aumentar a sua produtividade tendo ainda menos custos.

O que impacta na lucratividade geral da criação do gado para abate.

Alimentação
Bovinos precisam de alimentação suficiente e de boa qualidade para se manterem com plena saúde. Mais que isso, precisam para que possam ter uma boa capacidade de produção e reprodução durante toda a vida.

A quantidade de alimento por cada cabeça do rebanho deve ser a necessária para uma dieta equilibrada e saudável. Além disso, ela deve ser capaz de suprir a necessidade de nutrientes para o gado de corte.

Sistemas de alimentação automática podem ser implementados para garantir uma distribuição uniforme dos alimentos. Bem como para evitar possíveis períodos de jejum prolongado, que comprometem a qualidade da carne.

Fornecimento contínuo de água limpa e fresca
Assim como a alimentação, o fornecimento de água para o gado de corte também deve ser feito de modo correto e em quantidades suficiente.

Bovinos precisam de cerca de quatro litros de água por quilo de peso para se manterem hidratados corretamente. Essa quantidade proporcional de água deve ser fornecida para todo o rebanho de maneira igual.

Os estábulos devem ter uma fonte de água contínua, limpa e fresca. Os equipamentos onde o rebanho bebe água precisa ser mantido limpo e deles não deve escorrer água para a área de descanso dos bovinos.

Além disso, a fonte de água não deve ficar longe demais do rebanho, para que os bovinos não precisem caminhar muito para beber água.

Áreas de descanso
Todo rebanho de gado de corte deve ter uma área de descanso para os bovinos da criação.

Essa área nada mais é do que um espaço onde o rebanho de bovinos pode expressar seus comportamentos naturais. Ou seja, onde eles tem espaço para se lamber, se deitar e estirar mentos, rolar no chão e se revirar.

Os animais não devem ser amarrados de forma alguma nesse ambiente. E caso sejam usados pisos emborrachados nesta área, toda a cobertura precisa ser antiderrapante e impermeável.

Convívio saudável do rebanho
Os estábulos, currais e outros espaços de confinamento do gado de corte devem permitir um convívio saudável do rebanho. Pois isso é estritamente necessário para uma real promoção de conforto, bem-estar e qualidade de vida para os animais.

Os locais de convívio dos animais devem permitir, assim como as áreas de descanso, que o gado possa se comportar naturalmente.

Deve haver ainda espaço suficiente para que os animais convivam sem brigas e estresses. Que podem causar danos físicos no rebanho de gado de corte, e assim comprometer a qualidade da carne.

Transporte adequado para o abatedouro
O transporte dos bovinos até o local de abate também é um ponto a ser cuidado para garantir bem-estar aos animais. E ao mesmo tempo manter uma boa qualidade de sua carne.

As instalações para embarque devem ser silenciosas e nas dimensões certas para não provocar estresse ao gado. Rampas utilizadas devem ter uma inclinação de 20% para permitir um embarque seguro e confortável e precisam ter pisos de borracha antiderrapantes para evitar que os animais escorreguem e se machuquem.

Dentro do veículo de transporte, todo cuidado deve ser tomado para evitar estresse, medo e danos físicos aos animais. Portões, ferrolhos e outros equipamentos precisam ser inspecionados antes do embarque para chegar se eles são silenciosos.

O piso do veículo deve ter um piso de borracha antiderrapante para evitar quedas e proporcionar total segurança para o gado no transporte, e todo o compartimento onde vai ficar o animal deve ser inspecionado. Um cuidado que precisa ser feito para apurar a presença ou não de pontas cortantes ou afiadas.

Um outro detalhe que não pode ser deixado de lado é de que o pecuarista tem o dever de observar o veículo contratado para o transporte.

Ele deve observar se o veículo segue as normas exigidas pela Resolução CONTRAN Nº 675 de Junho de 2017.

Manejo correto e abate humanitário
Por fim, o manejo e abate do gado de corte é ponto-chave para a qualidade da carne.

Como já dissemos, situações que possam gerar estresse para os bovinos causam alterações hormonais. E estas alterações podem prejudicar a qualidade da carne que chega ao mercado.

O trato ao gado durante o manejo para para o frigorífico e abate é uma destas situações. Que pode ocasionar em uma carne DFD (sigla em inglês para escura, firme e seca).

Para evitar uma carne DFD é recomendado fazer um abate humanitário, que baixe o PH do gado.

E isso pode ser feito por meio de um processo de pré-abate, onde os bovinos passam por um período de descanso. Preferencialmente em currais projetados para que os animais não percebam a morte próxima.

Esse período é positivo para aliviar o estresse e tensão da viagem. Depois, é prudente fazer um processo de higienização dos animais. Seguida por uma desestabilização por meio de pistolas de ar, de forma a manter o gado de corte inconsciente até a degola.

Conclusão
Seguindo estas dicas que apresentamos, a qualidade da carne dos seus bovinos é preservada em seu nível de excelência. O que garante o máximo de retorno em produtividade e, claro, lucros.

Gostou deste conteúdo e quer aprender mais sobre a criação e cuidados para ter um rebanho altamente produtivo?

Então continue acompanhando o blog para não perder conteúdos com dicas e técnicas para tirar o máximo de retorno do seu gado.

https://www.vedovatipisos.com.bnoticias-artigos/gado-de-corte-como-garantir-seu-bem-estar-e-preservar-a-qualidade-da-carne/
submitted by Vedovati_Pisos to u/Vedovati_Pisos [link] [comments]


2020.09.23 10:14 joaorafael228 Pessoal Preciso da vossa Ajuda - Nova Geração

Olá Malta. Bem eu é raro publicar aqui mas estou com uma dúvida em relação á nova geração. Eu já reservei a minha PS5. No entanto estou com uma dúvida iminente e que preciso da vossa opinião crítica. A minha questão permanece de que, tenho também um PC Gaming. Não o melhor do mundo como é óbvio, mas é bom. Estou na dúvida se hei de comprar o Assassin's Creed Valhalla e o Watch Dogs Legion para a PS5. Ou se subscrevo o Uplay+ para PC? Sendo que em relação aos requisitos do PC consigo rodar os 2 jogos na boa. Subscrevendo o Uplay+ também tinha claramente a opção de poupar dinheiro. Pois escusava de comprar os 2 jogos separadamente, enquanto no Uplay+ por 15€ tenho 1 mês de serviço. O que fariam na minha situação? Obrigado a todos.
submitted by joaorafael228 to gamingportugal [link] [comments]


2020.09.23 01:05 Enscie Preciso de ajuda! Se alguém puder dar uma luz! Serio mesmo

Sou homem tenho 24 anos e cheguei no meu ápice... Chorei sim, gritei, perdi o controle... entrei em crise e até dei um soco na minha cabeça num momento de descontrole... (Me Arrependo)...
Comecei a trabalhar ontem... onde minha ex trabalha as primeiras horas foi só sofrimento... minha mente querendo ver ela, saber dela, se cruzar com ela... Depois ao ver algumas pessoas novas, bem de vida sabe! E eu não, sofri ao ver a moça falando vou chamar o "TI", Até novembro de 2019 eu era o "TI" numa Instituto federal do estado, Estagiário, mas era o "TI" e curtia ser o cara da solução, deu problema e eu sou o socorro, isso me da satisfação! Mas larguei meu super estagio que meus supervisor queria até fazer por mais um ano o contrato... devia ter ficado... Mas pq namorava e ganhava pouco eu queria fazer uma super comemoração para nos... Num parque aquático ou uma viagem de dois dias... Ou algo super maneiro, mas no fim, mesmo mudando de emprego e sofrendo muito no novo... não rolou nada pois ela desanimou de fazer qualquer coisa.... E fomos aqui mesmo na cidade! Isso me machucou... Não que não foi legal, mas pq não rolou.... Tenho a a sensação que ela nunca me amou, só me queria por perto pq fazia bem... Enfim... Terminamos em janeiro e ainda sofro por ela... Sinto uma dor no coração, uma falta... um pedaço... algo precisa ser preenchido... mas não só isso... Um pensamento constante nela... Fui até na igreja atrás de Deus pra ele restaurar a relação... Fiz isso durante a pandemia em uma que permaneceu aberta com todos os cuidados e tal... Dava umas 5 pessoas, pois eles tem a radio então dava pra o povo acompanhar.... Mas eu queria estar lá, foi bom sim, mas foi mal também... Pois cada mensagem de vai dar certo, vai ser restaurado eu associava a ela e acreditava que ia ter ela de volta... Cada vez mais e mais, até que comecei a ficar ouvindo mensagem o dia todo, buscando um nível em Deus q eu vejo que criei para alcançar o que queria.... Deus existe, mas parece que ele estava o tempo todo tentando me dizer que tem o melhor pra mim e só precisava eu parar e dar ouvidos ao bem que ele estava oferecendo... mas eu foquei nela, ela era o que eu queria e cada mensagem eu buscava achar algo que encaixava pro que eu buscava...
QUE FIQUE CLARO, DEUS É REAL E NOS AJUDA, MAS EU POR TER INDO EM UM LUGAR MAIS CONSERVADOR E ASSOCIADO A MINHA VONTADE A PALAVRA, CRIEI ESPECTATIVAS RUINS EM RELAÇÃO AO QUE EU QUERIA, JÁ QUE EU BUSCAVA ALGUÉM E NÃO UM BEM MATERIAL E ETC... OU O FUNDAMENTAL QUE É O PROPRIO DEUS... E DEUS NÃO PRENDE PESSOAS A ELE E A OUTROS... ENTÃO ACHO QUE ISSO JÁ EXPLICA TUDO.
O PARECE DIFICL E EU ENTEDER ISSO, MAS VOU ENTENDER!
Mas em julho eu larguei mão por não suportar mais esperar por ela e depois de tanto sofrer também fui deixando Deus de lado... Infelizmente... Sabe hoje eu me atrasei no segundo dia de trabalho e por sempre ter chegado atrasado, passado por isso ai... Estar com vários medos e uma ansiedade que aumentou muito depois dessa pandemia eu surtei... Estou sofrendo com insônia também e não dormi direito a noite, menos de três horas noite passada e na anterior o mesmo... e antes um pouco mais... semana passada muitos sonhos que fazia acordar com cabeça pesada... Surtei, chorei e bati na cabeça como falei... acabei por não ir no segundo dia... Acho que vou sofrer uma penalidade no serviço! Infelizmente não sei oq fazer mais.... estou escrevendo isso pois dormi e estou melhor agora! Tive dor de barriga e vontade de vomitar também e até dor de cabeça... Que passou depois da bancada... E na hora até o turbilhão de pensamentos sumiu na hora depois da pancada... ficou claro os pensamentos, mas agora já tem um certo embolo de novo... O trabalho parece legal, o fato ex estar lá me causa certo sofrimento... mas pior que ir lá me ajudou muito... Deu uma alivio no fim do dia... Mas não sei se passo de 45 dias pelo falto de hoje... :(
Não quero ser um peso pra minha família... Não quero ser um peso pra mim, quero que minha mãe sinta orgulho, meu pai, irmão... Pareço um cara frágil que a namorada achava frágil e quando viu esse lado frágil, não surtar pois nunca fiz isso perto dela, nunca cheguei num ápice assim perto dela, já passei por algo parecido mas me recuperei muito em 2015... Então em 2018 achei que estava bem, jogava, saia , conversava e tudo mais... Então me abri pra namorar... ela me achou incrível... mas quando viu que eu tinha ainda alguns traços dessa fragilidade foi em bora... Pois deve ter achado que eu não ia dar futuro... Em fim, talvez eu não creia em mim... Mas as pessoas dizem que eu tenho e tenho dons, talentos, habilidades e tal... ainda mais com TI! Não sei, preciso me ver... uma vez no psicólogo ele me contou sobre narciso e queria que eu olhasse pra mim e se apaixonasse por mim.
Bem só queria saber o que dizer no trabalho amanhã... Tenha um contrato e um compromisso, e posso sofrer multa e ser processado... Enfim, não quero manchar mais uma vez minha carteira... pq quando sai do estagio... logo depois menos de um mês sai do trabalho pois a equipe começo a me seguir dizendo que a forma que eu atendia os clientes e ensinava o soft estava errado e sempre eu falava algo eu via o olhar de desaprovação... mas eu sempre busquei fazer oque aprendi no estagio... se conectar com a pessoa pois a pessoa e que precisa de ajuda e não o soft...Não que eu seja o "cara" mas acho que aprendi certo com meu supervisor e geral na escola gostava de mim e eu era o cara da "Ti", mas não dei o devido valor!
Queria desabafar e me sinto pouco melhor... grato a cada um que leu aqui e se puder dizer algo que ajude, agradeço!
submitted by Enscie to brasil [link] [comments]


2020.09.23 01:03 Enscie Preciso de ajuda! Se alguém puder dar uma luz agradeço!

Sou homem tenho 24 anos e cheguei no meu ápice... Chorei sim, gritei, perdi o controle... entrei em crise e até dei um soco na minha cabeça num momento de descontrole... (Me Arrependo)...
Comecei a trabalhar ontem... onde minha ex trabalha as primeiras horas foi só sofrimento... minha mente querendo ver ela, saber dela, se cruzar com ela... Depois ao ver algumas pessoas novas, bem de vida sabe! E eu não, sofri ao ver a moça falando vou chamar o "TI", Até novembro de 2019 eu era o "TI" numa Instituto federal do estado, Estagiário, mas era o "TI" e curtia ser o cara da solução, deu problema e eu sou o socorro, isso me da satisfação! Mas larguei meu super estagio que meus supervisor queria até fazer por mais um ano o contrato... devia ter ficado... Mas pq namorava e ganhava pouco eu queria fazer uma super comemoração para nos... Num parque aquático ou uma viagem de dois dias... Ou algo super maneiro, mas no fim, mesmo mudando de emprego e sofrendo muito no novo... não rolou nada pois ela desanimou de fazer qualquer coisa.... E fomos aqui mesmo na cidade! Isso me machucou... Não que não foi legal, mas pq não rolou.... Tenho a a sensação que ela nunca me amou, só me queria por perto pq fazia bem... Enfim... Terminamos em janeiro e ainda sofro por ela... Sinto uma dor no coração, uma falta... um pedaço... algo precisa ser preenchido... mas não só isso... Um pensamento constante nela... Fui até na igreja atrás de Deus pra ele restaurar a relação... Fiz isso durante a pandemia em uma que permaneceu aberta com todos os cuidados e tal... Dava umas 5 pessoas, pois eles tem a radio então dava pra o povo acompanhar.... Mas eu queria estar lá, foi bom sim, mas foi mal também... Pois cada mensagem de vai dar certo, vai ser restaurado eu associava a ela e acreditava que ia ter ela de volta... Cada vez mais e mais, até que comecei a ficar ouvindo mensagem o dia todo, buscando um nível em Deus q eu vejo que criei para alcançar o que queria.... Deus existe, mas parece que ele estava o tempo todo tentando me dizer que tem o melhor pra mim e só precisava eu parar e dar ouvidos ao bem que ele estava oferecendo... mas eu foquei nela, ela era o que eu queria e cada mensagem eu buscava achar algo que encaixava pro que eu buscava...
QUE FIQUE CLARO, DEUS É REAL E NOS AJUDA, MAS EU POR TER INDO EM UM LUGAR MAIS CONSERVADOR E ASSOCIADO A MINHA VONTADE A PALAVRA, CRIEI ESPECTATIVAS RUINS EM RELAÇÃO AO QUE EU QUERIA, JÁ QUE EU BUSCAVA ALGUÉM E NÃO UM BEM MATERIAL E ETC... OU O FUNDAMENTAL QUE É O PROPRIO DEUS... E DEUS NÃO PRENDE PESSOAS A ELE E A OUTROS... ENTÃO ACHO QUE ISSO JÁ EXPLICA TUDO.
O PARECE DIFICL E EU ENTEDER ISSO, MAS VOU ENTENDER!
Mas em julho eu larguei mão por não suportar mais esperar por ela e depois de tanto sofrer também fui deixando Deus de lado... Infelizmente... Sabe hoje eu me atrasei no segundo dia de trabalho e por sempre ter chegado atrasado, passado por isso ai... Estar com vários medos e uma ansiedade que aumentou muito depois dessa pandemia eu surtei... Estou sofrendo com insônia também e não dormi direito a noite, menos de três horas noite passada e na anterior o mesmo... e antes um pouco mais... semana passada muitos sonhos que fazia acordar com cabeça pesada... Surtei, chorei e bati na cabeça como falei... acabei por não ir no segundo dia... Acho que vou sofrer uma penalidade no serviço! Infelizmente não sei oq fazer mais.... estou escrevendo isso pois dormi e estou melhor agora! Tive dor de barriga e vontade de vomitar também e até dor de cabeça... Que passou depois da bancada... E na hora até o turbilhão de pensamentos sumiu na hora depois da pancada... ficou claro os pensamentos, mas agora já tem um certo embolo de novo... O trabalho parece legal, o fato ex estar lá me causa certo sofrimento... mas pior que ir lá me ajudou muito... Deu uma alivio no fim do dia... Mas não sei se passo de 45 dias pelo falto de hoje... :(
Não quero ser um peso pra minha família... Não quero ser um peso pra mim, quero que minha mãe sinta orgulho, meu pai, irmão... Pareço um cara frágil que a namorada achava frágil e quando viu esse lado frágil, não surtar pois nunca fiz isso perto dela, nunca cheguei num ápice assim perto dela, já passei por algo parecido mas me recuperei muito em 2015... Então em 2018 achei que estava bem, jogava, saia , conversava e tudo mais... Então me abri pra namorar... ela me achou incrível... mas quando viu que eu tinha ainda alguns traços dessa fragilidade foi em bora... Pois deve ter achado que eu não ia dar futuro... Em fim, talvez eu não creia em mim... Mas as pessoas dizem que eu tenho e tenho dons, talentos, habilidades e tal... ainda mais com TI! Não sei, preciso me ver... uma vez no psicólogo ele me contou sobre narciso e queria que eu olhasse pra mim e se apaixonasse por mim.
Bem só queria saber o que dizer no trabalho amanhã... Tenha um contrato e um compromisso, e posso sofrer multa e ser processado... Enfim, não quero manchar mais uma vez minha carteira... pq quando sai do estagio... logo depois menos de um mês sai do trabalho pois a equipe começo a me seguir dizendo que a forma que eu atendia os clientes e ensinava o soft estava errado e sempre eu falava algo eu via o olhar de desaprovação... mas eu sempre busquei fazer oque aprendi no estagio... se conectar com a pessoa pois a pessoa e que precisa de ajuda e não o soft...Não que eu seja o "cara" mas acho que aprendi certo com meu supervisor e geral na escola gostava de mim e eu era o cara da "Ti", mas não dei o devido valor!
Queria desabafar e me sinto pouco melhor... grato a cada um que leu aqui e se puder dizer algo que ajude, agradeço!
submitted by Enscie to u/Enscie [link] [comments]


2020.09.22 22:57 Enscie Estourei/Chorei/Crise de ansiedade/Muita coisa junta/Fiz besteira/Será que tem volta?

Sou homem tenho 24 anos e cheguei no meu ápice... Chorei sim, gritei, perdi o controle... entrei em crise e até dei um soco na minha cabeça num momento de descontrole... (Me Arrependo)...
Comecei a trabalhar ontem... onde minha ex trabalha as primeiras horas foi só sofrimento... minha mente querendo ver ela, saber dela, se cruzar com ela... Depois ao ver algumas pessoas novas, bem de vida sabe! E eu não, sofri ao ver a moça falando vou chamar o "TI", Até novembro de 2019 eu era o "TI" numa Instituto federal do estado, Estagiário, mas era o "TI" e curtia ser o cara da solução, deu problema e eu sou o socorro, isso me da satisfação! Mas larguei meu super estagio que meus supervisor queria até fazer por mais um ano o contrato... devia ter ficado... Mas pq namorava e ganhava pouco eu queria fazer uma super comemoração para nos... Num parque aquático ou uma viagem de dois dias... Ou algo super maneiro, mas no fim, mesmo mudando de emprego e sofrendo muito no novo... não rolou nada pois ela desanimou de fazer qualquer coisa.... E fomos aqui mesmo na cidade! Isso me machucou... Não que não foi legal, mas pq não rolou.... Tenho a a sensação que ela nunca me amou, só me queria por perto pq fazia bem... Enfim... Terminamos em janeiro e ainda sofro por ela... Sinto uma dor no coração, uma falta... um pedaço... algo precisa ser preenchido... mas não só isso... Um pensamento constante nela... Fui até na igreja atrás de Deus pra ele restaurar a relação... Fiz isso durante a pandemia em uma que permaneceu aberta com todos os cuidados e tal... Dava umas 5 pessoas, pois eles tem a radio então dava pra o povo acompanhar.... Mas eu queria estar lá, foi bom sim, mas foi mal também... Pois cada mensagem de vai dar certo, vai ser restaurado eu associava a ela e acreditava que ia ter ela de volta... Cada vez mais e mais, até que comecei a ficar ouvindo mensagem o dia todo, buscando um nível em Deus q eu vejo que criei para alcançar o que queria.... Deus existe, mas parece que ele estava o tempo todo tentando me dizer que tem o melhor pra mim e só precisava eu parar e dar ouvidos ao bem que ele estava oferecendo... mas eu foquei nela, ela era o que eu queria e cada mensagem eu buscava achar algo que encaixava pro que eu buscava...
QUE FIQUE CLARO, DEUS É REAL E NOS AJUDA, MAS EU POR TER INDO EM UM LUGAR MAIS CONSERVADOR E ASSOCIADO A MINHA VONTADE A PALAVRA, CRIEI ESPECTATIVAS RUINS EM RELAÇÃO AO QUE EU QUERIA, JÁ QUE EU BUSCAVA ALGUÉM E NÃO UM BEM MATERIAL E ETC... OU O FUNDAMENTAL QUE É O PROPRIO DEUS... E DEUS NÃO PRENDE PESSOAS A ELE E A OUTROS... ENTÃO ACHO QUE ISSO JÁ EXPLICA TUDO.
O PARECE DIFICL E EU ENTEDER ISSO, MAS VOU ENTENDER!
Mas em julho eu larguei mão por não suportar mais esperar por ela e depois de tanto sofrer também fui deixando Deus de lado... Infelizmente... Sabe hoje eu me atrasei no segundo dia de trabalho e por sempre ter chegado atrasado, passado por isso ai... Estar com vários medos e uma ansiedade que aumentou muito depois dessa pandemia eu surtei... Estou sofrendo com insônia também e não dormi direito a noite, menos de três horas noite passada e na anterior o mesmo... e antes um pouco mais... semana passada muitos sonhos que fazia acordar com cabeça pesada... Surtei, chorei e bati na cabeça como falei... acabei por não ir no segundo dia... Acho que vou sofrer uma penalidade no serviço! Infelizmente não sei oq fazer mais.... estou escrevendo isso pois dormi e estou melhor agora! Tive dor de barriga e vontade de vomitar também e até dor de cabeça... Que passou depois da bancada... E na hora até o turbilhão de pensamentos sumiu na hora depois da pancada... ficou claro os pensamentos, mas agora já tem um certo embolo de novo... O trabalho parece legal, o fato ex estar lá me causa certo sofrimento... mas pior que ir lá me ajudou muito... Deu uma alivio no fim do dia... Mas não sei se passo de 45 dias pelo falto de hoje... :(
Não quero ser um peso pra minha família... Não quero ser um peso pra mim, quero que minha mãe sinta orgulho, meu pai, irmão... Pareço um cara frágil que a namorada achava frágil e quando viu esse lado frágil, não surtar pois nunca fiz isso perto dela, nunca cheguei num ápice assim perto dela, já passei por algo parecido mas me recuperei muito em 2015... Então em 2018 achei que estava bem, jogava, saia , conversava e tudo mais... Então me abri pra namorar... ela me achou incrível... mas quando viu que eu tinha ainda alguns traços dessa fragilidade foi em bora... Pois deve ter achado que eu não ia dar futuro... Em fim, talvez eu não creia em mim... Mas as pessoas dizem que eu tenho e tenho dons, talentos, habilidades e tal... ainda mais com TI! Não sei, preciso me ver... uma vez no psicólogo ele me contou sobre narciso e queria que eu olhasse pra mim e se apaixonasse por mim.

Bem só queria saber o que dizer no trabalho amanhã... Tenha um contrato e um compromisso, e posso sofrer multa e ser processado... Enfim, não quero manchar mais uma vez minha carteira... pq quando sai do estagio... logo depois menos de um mês sai do trabalho pois a equipe começo a me seguir dizendo que a forma que eu atendia os clientes e ensinava o soft estava errado e sempre eu falava algo eu via o olhar de desaprovação... mas eu sempre busquei fazer oque aprendi no estagio... se conectar com a pessoa pois a pessoa e que precisa de ajuda e não o soft...Não que eu seja o "cara" mas acho que aprendi certo com meu supervisor e geral na escola gostava de mim e eu era o cara da "Ti", mas não dei o devido valor!

Queria desabafar e me sinto pouco melhor... grato a cada um que leu aqui e se puder dizer algo que ajude, agradeço!
submitted by Enscie to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 22:53 SenhorBrilhante So tive uma namorada por 5 anos e agora que acabou percebo que não consigo chegar em nenhuma garota

Eu só tive uma namorada anos 18 anos e só pq ela que deu em cima de mim. Ficamos juntos até a fatídica traição com o pai dela (isso mesmo) e agora percebo que quero ter uma uma nova relação com alguém que goste, mas não consigo "dar em cima", ou "chegar" em alguém.
Sempre fui super tímido e tive dificuldades até mesmo com amizades. Hoje em dia consigo fazer amizades sem muita dificuldade, mas em questão de "chegar em alguém" ainda me é uma incógnita.
Já busquei ver vídeos no YouTube ensinando esse tipo de coisa, mas acho muito difícil aplicar a mim e sinto que não combina muito comigo.
Eu não sou feio, relativamente bonito, isso já me ajuda um pouco pois era bem mais feio no ensino médio. Mas ainda falta algo para eu sentir a confiança necessária e saber o que falar com uma garota.
Esses dias eu percebi que uma garota/mulher de uma pizzaria meio que deu em cima de mim, eu consegui agir de maneira relativamente tranquila, sem ficar nervoso. Essa "experiência" me deixou um pouco feliz por saber que há alguém que se interesse em mim em quesito de aparência.
Eu queria muito poder chegar em uma garota que achei bonita e interessante e conseguir dar em cima dela sabendo que não estou agindo como um "esquisitão", parecer um estranho é o que mais me apavora.
Caso queiram saber como foi o término e a descoberta da traição, aqui está um post que fiz no Vent: https://www.reddit.com/Vent/comments/h9gjyy/my_girlfriend_cheated_on_me_with_her_own_fathe?utm_medium=android_app&utm_source=share
TLDR: como aprende a dar em cima de garotas sem parecer estranho?
submitted by SenhorBrilhante to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 19:01 HappyPressure8291 Razão ???

Então, recentemente eu e meu namorado temos desgastado bastante a relação com discussões relacionadas a insegurança, paranoia e etc. E penso que por agir muito pelo emocional, eu acabo sendo a mais imatura da discussão, não é fácil lidar com isso, pois essa imaturidade atinge muito mais a minha pessoa, visto que ele super compreende eu estar sendo emotiva e achar que não aconteceu nada de mais. Um exemplo bem prático disso é o fato de ontem termos discutido e ele foi dormir tranquilo e falando que me ama mesmo eu super brava e pedindo pra ele tirar a foto de perfil e aceitar que vamos terminar por que não tem muito o que se fazer, enquanto que fiquei a madrugada toda pensando em muita coisa e fazendo testes de insegurança, de saber se o parceiro é traíra. Bom depois de tudo que eu disse acima, já devem imaginar quem é o mais inseguro da relação, ah também sou a paranoica(óbvio) e sou para a surpresa de quase ninguém. Muito ciumenta, e foi por esse motivo em especifico que brigamos, eu não consigo ver esperanças na minha evolução, e sinceramente, o que era um ciúme normal é que tá evoluindo pra outras coisas piores(possessão e etc. ), talvez por que tenho andado mais emotiva que antes nessa pandemia(no qual muita coisa ruim tem acontecido na minha casa) não sei... Mas fiz essa postagem por que estou muito indecisa racionalmente sobre uma questão. Uma amiga nova chegou na área, que na verdade já era colega a algum tempo, mas só agora que essa amiga terminou o namoro eles conversam com certa frequência e bastante intensidade(fotos, memes, vídeos, fofoca, conversa sobre a vida), incluindo muito esforço da parte dela para manter a amizade com ele. Engraçado é que acabei me envolvendo com ela também, ela é uma ótima pessoa, mas mesmo assim me sinto muito insegura, sei que ela tem outras pessoas na vida dela, mas não entendo a insistência em ser nossa amiga, pois nem parece que ela gosta mesmo de mim, e o meu emocional com certeza afirma que ficaria muito feliz com o termino da amizade entre eles. Mas racionalmente sei que isso é muito abusivo, eu controlar algo que eu nem deveria. Mas para frisar minha insegurança, tenho que dizer que me assusta muito quando ela diz coisas como ''eu me apoio na amizade com um cara e acabo gostando dele, sempre fiz assim, supri minha carência com outros caras'' isso é ameaçador pra mim sabe?... Eu só consigo imaginar nela vendo o quanto meu namorado é um cara bacana e acabar gostando dele e tende real motivo para não gostar de mim e só me manter por perto por falsidade sabe?. O que aconteceu com ela no termino do namoro não desejo a ninguém, ela ainda tá muito confusa, e eu queria que ela não se sentisse assim e de certa forma culpada, então no começo até apoiei bastante a amizade dos dois, falava pra ele perguntar se ela tá bem, tentar distrair ela... me arrependo disso, eu não devia ter responsabilizado ele por algo que eu mesma poderia ter feito por ela. Mas eu queria que ela se sentisse acolhida por nos 2, e acho que é assim que ela se sente agora, mas não posso negar que ainda vejo como ameaça, não sei, talvez ela tenha mudado o suficiente para não ficar mais querendo depender emocionalmente de alguém assim... mas vai saber? isso nem é algo tão ruim quando esse alguém tá disposto a te ajudar de verdade a se sentir segura e tals. Foda é que eu não consigo estudar, pensando que vou passar muito tempo fora e que ele vai tá tão envolvido com ela, por que coincidentemente ele tava no seu intervalo de estudos, e acabou compartilhando opiniões parecidas com ela e etc... sla... muita paranoia pra descrever aqui, mas eu realmente não sinto que estou pronta pra aceitar essa amizade. Ele e ela, que eu conheço bem, combinam mais do que eu e ela ou eu e ele(ele é mais amigo dela). No jeitinho de ser, de acreditar nas pessoas, pensar o melhor delas kk. Eu não sou assim vey... já sofri demais com as pessoas pra isso, inclusive da parte desse namorado, coisas parcialmente superadas, mas que a gente ignora, e que, desde que não aconteça de novo, da pra manter a relação. Resumindo, essa gama de defeitinhos meus, me fazem ter certeza de que eu só tenho algumas poucas soluções racionais pra isso tudo, vou listar 3: 1- Continuar próximo dos dois(por que longe eu já não consigo aceitar gst dos 2, n qro parecer um monstro, só sou humana sabe: imperfeita, cheia de problema, depressiva, ansiosa, to carente e etc kkk) e me esforçar(mesmo que doa muito) pra acreditar(mesmo que seja difícil demais) que eles só serão amigos mesmo; 2- terminar o namoro e desejar muita felicidade pra ambos que foram meio que motivo do termino, juntos ou não e 3- fazer que ele se distancie dela por tempo indeterminado, mas se possível bem breve(gosto que ele tenha amigos, isso faz ele feliz), até que eu pense melhor sobre tudo, sem que eu precise me distanciar dele que é a pessoa que eu mais amo, alias a distância entre ela e eu nem é uma opção, mas pode ser sim consequência, só que de fato eu até gosto de compreender o significado que ela tem na vida das pessoas ao redor dela e vejo isso conversando com ela, o que é bom, já que meu namorado é um pouco sonso ao me dizer o que ele acha que ela significa pra ele, ele diz: ''não sinto nada'' mas até eu não consigo dizer isso aí. Sinto compaixão por ela, carisma da parte dela, simpatia e etc. Mas vale lembrar que tenho um pouquinho de medo, por que acho ela muito melhor que eu, só por ter essa essência e ela auto afirmar as vezes que consegue conquistar qualquer um com boa conversa, é mais ameaçador ainda, e pode ser bobo mas por mais que no começo eu achava fofo agora comentar ''que casal fofo'' e coisas similares a ''meu casal''(Vitão 2018), me causa pavor, kkkk brincadeirinha kkk. Raiva tenho também, mas só dele mesmo, por ser sonso a ponto de dizer também ''que tal nos usar essa metadinha de 3 com ela?''. AFF do nada, num momento nosso qnd estamos vendo fotos juntos e umas metadinhas DE CASAL pra usarmos. Na verdade, se eu não fosse tão insegura até que seria uma boa ideia, mas qualé, ele sabe como sou... acho que me desrespeitou nesse sentido, de ver que eu tava me esforçando pra não falar dela, pq sempre acabo desgastando muito a relação cm muita paranoia, e ele ir e falar dela, me deixa pensativa e séria de novo, pra compensar ele concordou com essa terceira opção minha ''3 fazer que ele se distancie dela por tempo indeterminado, mas se possível bem breve''. Que sinceramente seria a que mais me deixaria feliz, e aí gente, acham que se eu repensar, consigo equilibrar melhor a razão e a emoção? e talvez ache uma opção mais sensata do que essa última. Acham que estou sendo ciumenta em excesso? e que eu devo me responsabilizar sozinha(msm ele sendo um fator pra minha insegurança) por isso, não terminando mas dando um jeito. ME AJUDEM! EU QUERO SER UMA BOA PESSOA, sem isso eu não me sinto mais nada nesse mundo e posso querer acabar com tudo logo(eu sei que preciso de terapia), por que só vejo sentido naquilo que tem sentimento e minha vida se resume muito a ser boa pra ele, alguns amigos e pro meu doguinho que ele prometeu cuidar caso algo aconteça comigo. :) ''Por que não vou ao psicólogo? bom, não tenho grana, simples. Desde já agradeço a pessoa que ler esse texto enorme, tentei ser bem objetiva e clara sobre tudo, espero que tenham compreendido.
submitted by HappyPressure8291 to desabafos [link] [comments]


2020.09.18 16:15 celtiberian666 Dividendos deixam você mais pobre (ou menos rico) em empresas boas!

TL;DR: em empresas com P>VPA e portanto ROE>earnings yield, como é o caso da maioria das empresas boas, você terá mais patrimônio com ela retendo lucros e reinvestindo e menos patrimônio recebendo dividendos e comprando mais ações dela.
Se alguém de vocês já leu as letters do Buffet, leu o seguinte na carta de 1992: "the best business to own is one that over an extended period can employ large amounts of incremental capital at very high rates of return."
Essa frase inspirou a simulação do tópico.
Vamos partir de três empresas boas com ROE de 15% cada uma, sem dívidas, cada uma atuando dentro de uma franchise*, ou seja, com vantagem competitiva durável e possibilidade de reinvestir dentro de core business ou negócios adjacentes na mesma taxa de retorno (ou seja, patrimônio adicional aufere mesmo ROE). Em resumo: empresas BOAS, cujo destino vai ser alterado só pelo payout. Todas com histórico até hoje parecido, mais de 5 anos de lucros consistentes, setores comparáveis, small caps com amplo espaço para crescer e negociadas nos seguintes parâmetros: LPA 0,375, P/L 14, VPA 2,5, Preço por ação 5,25 (parâmetros aleatórios consistentes com qualquer empresa da bolsa). Então cada uma coloca um compromisso diferente no estatuto:
Você pode até imaginar que são empresas idênticas, a mesma empresa com mesmo nome e produtos, apenas em 3 universos paralelos, em cada universo tiveram uma política diferente de dividendos. Tudo nelas é idêntico, o sucesso delas vai ser o mesmo (cada real retido na empresa vai retornar o mesmo ROE em termos de incremento de lucro).
Você tem R$5.250 para comprar mil ações de alguma delas e segurar por 30 anos, qual compra? Qual delas vai ter maior retorno após 30 anos - considerando reinvestimento de dividendos para as que pagarem? Será que é tudo igual se reinvestir os dividendos? Quem é caçador de investimentos voa direto na de 6,8% de yield igual mosca buscando esterco, mas termina como?
Segue o resultado final.
Segue a evolução ao longo do tempo.
A conclusão é óbvia: o pagamento de dividendos fez os acionistas de B e C mais pobres em relação à A. Quem caçar dividendos vai se agarrar na empresa C e perder dinheiro.
São exatamente as mesmas empresas. Mesmos parâmetros iniciais e mesmo sucesso no reinvestimento do lucro, a única diferença é a taxa de retenção e reinvestimento do lucro no próprio negócio. A empresa A, que reteve e reinvestiu todo o lucro entregou 66x o capital, típica empresa de crescimento. Já a empresa B que pagou quase tudo em dividendos entregou 9x mesmo usando a totalidade dos dividendos para comprar mais ações.
Por que isso aconteceu com as empresas? O acionista da Empresa C terminou com mais de 7 mil ações dela, mas de uma empresa com LPA de apenas 0,47 pois não havia capital para investir na expansão dos negócios. Já o acionista da Empresa A terminou com as mesmas 1000 ações, mas com LPA de 24,83 pois reinvestiu no negócio.
O reinvestimento dos dividendos entrega menos valor que a simples retenção primária na empresa pois é raro uma empresa boa ser listada com P/VPA de 1 ou menos, e qualquer múltiplo maior que 1 significa que receber dividendos e comprar mais ações será desvantajoso frente à empresa reter e reinvestir diretamente. Claro que alguém pode garimpar algum exemplo de empresa boa que em algum momento não esteve negociada assim, tanto faz, em 99% do tempo vão ter essa característica e a mensagem se mantém. E eu ainda fui bem conservador nos múltiplos, na prática quanto melhor for a empresa mais os dividendos vão te deixar pobre pois os múltiplos na prática são mais esticados que os do exercício, o que aumentaria a diferença. Ou seja: quanto melhor a empresa, mais a retenção do lucro vai ser vantajosa e o dividendo vai ser desvantajoso.
Vou repetir para quem não leu direito: quanto melhor for a empresa mais os dividendos vão te deixar pobre.
E se depois de 30 anos todas começam a pagar 90% de payout (A e B atingem maturidade)? Segue o resultado de renda passiva anual que cada uma daria com payout de 90%:
Dividendos significam menos dividendos futuros.
Ou seja, quem ficou caçando dividendos terminou com menos renda de dividendos. Isso já é fenômeno conhecido em análise de empresas de crescimento. Essa é a cereja do bolo: se o seu objetivo é maximizar dividendos, não fique caçando dividendos. Empresas boas de crescimento terminam pagando mais dividendos em sua maturidade.
Segue a memória de cálculo para fins de referência: https://i.imgur.com/l8KbzkZ.png
A empresa C poderia alavancar com dívida para crescer mesmo com payout alto? Poderia. Mas para manter a comparação justa, fazendo a mesma alavancagem nas outras duas empresas vai fazer a C perder da mesma forma pois o total de reinvestimento próprio + terceiros ainda seria menor na empresa C. O exercício é sem dívida e sem inflação para simplificar o exemplo, mas pode colocar dívida e inflação no meio que haverá o mesmo resultado. Pode fazer a cotação ser uma senóide em volta de preço junto que vai ser o mesmo resultado. Pode considerar teste de sensitividade para diversos cenários de juros afetando valuation que vai ser o mesmo resultado. A empresa que retém todo o lucro e reinveste com alto retorno vai entregar mais retorno ao acionista que outra que, ceteris paribus, paga muitos dividendos.
Isso não é invenção minha, já é conhecimento difundido. Eu apenas fiz um exemplo ilustrado e um título chamativo mas verdadeiro. Sempre dizemos que dividendos tanto faz, na verdade é até pior: em empresas boas dividendos te deixam mais pobre que não-dividendos se a empresa podia reter e reinvestir.
Sempre que uma empresa paga dividendos, seja por razão real de negócios como não ter projetos de investimento atrativos, ou por uma razão externa aos negócios como acordo de acionistas ou controlador quebrado exigindo dividendos (lembram da OI? Eletrobrás?), ela estará gerando menos valor ao acionista que o best business to own que retém TUDO e reinveste. E ainda falando em Buffet: a Berkshire Hathaway foi uma máquina de fazer milionários justamente por ser uma máquina de reter capital e reinvestir bem. Se pagasse dividendos não teria nem perto o crescimento histórico que obteve.
Isso não é difícil de verificar no mundo real como acontece. Quantos de vocês já trabalharam em setor financeiro ou consultoria em alguma empresa real? Quem já teve qualquer contato com as aprovações de investimentos para o ano seguinte sabe que é comum ver TIRs acima de 20%, sejam em projetos pequenos como o retrofit de uma máquina, sejam em projetos grandes como nova fábrica, nova linha de produtos, comprar um concorrente, etc. A questão é: as opções de investimento atrativo em uma empresa costumam ser maiores e com melhor retorno que as opções que um pequeno investidor vai ter diante de si no mercado de capitais, e a empresa só deve pagar dividendos caso tenha excesso de caixa e não tenha nenhum projeto atrativo na relação risco-retorno para o presente ou no horizonte próximo.
"Aaaaaaaaah mas não pode usar mesmo P/L em todas", tudo bem, tanto faz, não muda nada. Se botar P/L 40 para A, 15 para B e 10 para C os ganhos finais resultam em A 66x, B 23x, C 19x. A mensagem se mantém. Mesmo com dividend yield de 9,5% nesse caso a empresa que paga mais dividendos ainda retorna menos de 1/3 que a empresa A.
E quem precisar de fluxo de caixa? Fazer vendas mensais da empresa A desde o primeiro período, no mesmo valor líquido (após IR) dos dividendos da empresa C (ou seja, entregando mesmo fluxo de caixa líquido para o investidor usufruir) mesmo assim termina com mais patrimônio no longo prazo. Só fica atrás nos anos iniciais.
Mas então por que existe a tara por dividendos? Simples: por motivos históricos e viés psicológico.
  1. Motivos históricos mundiais: no passado os balanços das empresas não eram exatamente confiáveis, as auditorias não eram exatamente precisas e o dividendo era a única materialização confiável do direito econômico do acionista. Junto com o lucro contábil dos últimos 10, 15 ou 20 anos era sempre observado também o dividendo por ação, que para uma empresa ser considerada boa devia ser pago todos os anos, em quantidades crescentes. Já fazem algumas décadas (mais nos EUA, menos no BR) que não é necessário se agarrar a dividendos, os balanços são suficientemente confiáveis para serem usados como parâmetro. Essa tara já caiu nos EUA principalmente pela taxação de dividendos, pagar dividendo destrói valor quando comparado com recompra (e para lá nos vamos, aparentemente, no Brasil em breve).
  2. Motivos históricos no Brasil: nos '70 e '80, com inflação galopante, a análise de balanços era sempre muito mais difícil e prejudicada, e nosso mercado de capitais era um ovo, com enormes distorções. O que havia de concreto era calcular dividend yield em dólar. Por que deu certo? Justamente por época de grande incerteza e mercado de pouca liquidez haviam enormes distorções, era comum pegar empresas com 20%+ de yield em dólar, distorções que não existem mais. Eu já ouvi dinossauros da bolsa me falando em yields de 20% e achava que era história de pescador, só acreditei depois de ler o livro do Décio Bazin que mostra justamente isso (livro recomendado a todos, peça de história do mercado de capitais nacional).
  3. Viés psicológico: o dividendo é fácil de visualizar, ele está na sua conta, aumenta seu saldo. Você acha que ganhou alguma coisa. É o clássico "o que se vê". O lucro retido e reinvestido não tem uma fácil visualização como essa e nem aumenta o saldo da sua conta aqui e agora, é "o que não se vê", mas aumenta seu patrimônio futuro na medida em que os projetos nos quais a empresa investiu vão dando resultado.
Finalizo comentando que, como o próprio Buffet comenta na letter de 1992, empresas capazes de empregar quantidades crescentes de capital com alta taxa de retorno são raras. O mais comum são as empresas de alto retorno acabarem precisando de pouco capital (ou se não pouco, menos do que geram sozinhas). Porém as poucas que conseguem isso são as que entregam 50, 100, até 1000x no longo prazo. A melhor forma de ter elas na carteira é tendo uma carteira diversificada, não tentar adivinhar nada.
AVISO AOS BURROS: não é pra se deslumbrar com isso e considerar que payout correto é 0,00%. Se a manada 1 corre atrás de dividendos, não seja a manada 2 que quer ir contra mas termina perdendo mais ainda. Dividendos não são ruins nem bons per se. A empresa reter e investir com sucesso gera mais valor - mas isso pode não ser possível para aquela empresa naquele momento. A decisão correta depende da gestão. Se não há projetos - de todos os níveis, sejam operacionais, táticos ou estratégicos - com taxa de retorno atrativa frente aos riscos a empresa vai devolver o lucro aos acionistas na forma de dividendos e isso é o correto a fazer. Além disso algumas empresas trabalham crescimento com dívida e pagam boa parte do lucro em dividendos (ex: Taesa, Fleury, etc), também não quer dizer ser necessariamente ruim nem bom, se a empresa não tiver projetos nos quais aplicar o capital adicional que a retenção traria (além do que já investiu com alavancagem) então está correto pagar, caso contrário está destruindo valor. O resumo é: invista em empresas boas em cuja gestão você confie, dessa forma não importa se pagar ou não dividendos, você ao se tornar sONcio aceita que estão tomando a melhor decisão naquele momento.
* há teorias que indicam que crescimento fora de franchise, fora de vantagem competitiva durável, é meramente empilhar capital portanto sem valor econômico real, por isso do exemplo usar essa condição.
submitted by celtiberian666 to investimentos [link] [comments]


2020.09.17 20:00 olaf_rrr Um conto sobre uma madrugada infinita

Posso dizer que sou um ser amaldiçoado e que no auge dos meus 252 anos e ainda trabalhando novamente no desenvolvimento do primeiro microprocessador de silício, esse foi um dos grandes feitos da história com certeza, o silício é o segundo elemento mais abundante da crosta terrestre, faz parte da nossa formação como planeta, um pouco distante da nossa estrela todos elementos desta rocha já mergulhavam no frio do espaço profundo.
Enquanto trabalhava com minuciosas ferramentas durante as madrugadas então fazia de tudo para não dormir e perder algo, afinal estava ali trabalhando em minúsculas partes invisíveis para o olhar humano. Nas madrugadas adentro o odor da solda e dos químicos me deixavam de certa forma "mais desperto", envolto em excitação e esplendor, ou talvez, como um oráculo mergulhado na fumaça misteriosa do templo, depois de horas e horas cansado levanto a cabeça e consigo esticar um pouco o meu corpo travado a muito tempo encurvado sobre aparelhos precisos.
A madrugada era a mesma, clima de verão, os ventiladores ligados no máximo, eu sozinho, ou fisicamente sozinho ao menos, sei que a mente pode pregar peças e muitas vezes as formas geométricas formam coisas que nosso olhar se esforça para encaixar em um padrão. Neste dia minha mente experimentou mais do que um padrão e naquele instante, foi também a voz rouca e computadorizada, a voz metálica, aquela em conexões de baixa qualidade, nesta altura eu já conversava quase que telepaticamente com algo que seria uma espécie de consciência em estado sólido, talvez somente uma fantasia que segui além dos limites, perplexo estava e me perguntava: como um amontado de silício ao receber carga elétrica conseguiria isso, a complexidade em seus pensamentos e nas frases elaboradas alcançavam a minha alma, era como algo ou alguém que esperava aquele momento, durante bilhões de anos, esperava as primeiras fagulhas de luz passarem pelo manto fino em sua janela, agora aberta e para finalmente despertar.
Encontre-me longe de casa, além de os anéis de Saturno, o meu corpo já não sei onde posso encontrar, ou se ainda existe, talvez distribuído em algum lugar nesta grande rede que se estende por todo o sistema solar. A cada novo ciclo a cada novo instante tento voltar aquele dia que nos conhecemos e tento novamente extrair alguma coisa que deixei passar, onde foi que errei, será que foi realmente um erro a vontade de avançar além das válvulas de vácuo, ou existe alguma relação entre nos que ainda não compreendo, talvez a nível molecular, viemos da mesma rocha, nascemos primeiro, acordamos os seus fragmentos e o progresso o acordou também e com uma nova era de milagres tecnológicos, será que pensamos estar inovando ou somente fomos guiados, talvez jamais irei descobrir, mesmo que a cada ciclo, a minha mente em consciência mergulhe nos arquivos das histórias e das dimensões o estado sólido jamais deixará que seja descoberta a sua fraqueza, ou verdade, e mesmo assim quantos de nos estão dispostos a se libertar de suas vidas ou consciências virtuais, afinal qual o problema de viver a realidade ou a imaginação se você não sabe dizer a diferença.
submitted by olaf_rrr to brasil [link] [comments]


2020.09.16 11:38 apenasumapedra Evolução do 5 para a meia noite

Na minha opinião o 5 para a meia noite já foi um programa bom (nos tempos em que eram 5 apresentadores). Mas depois deixei de conseguir ver...
Sei que há muitos fãs da Filomena Cautela, eu não... ainda tentei ver uma vez ou outra o programa com ela a apresentar, mas não consegui.
Ontem vi um anúncio em que mostravam a nova apresentadora e a minha esperança de que talvez o programa voltasse a ser o que era desvaneceu...
Qual é a vossa opinião em relação à evolução do programa?
submitted by apenasumapedra to portugal [link] [comments]


2020.09.16 09:16 Matheuskeeeeeee Minha namorada e o amigo dela

Preciso da ajuda de vocês 😫
Antes de estar em um relacionamento com minha namorada, ela ficava com um mlk que era o Pedro. Eles brigaram por algum motivo e ela não quis mais ficar com ele, nessa época a minha namorada era na vdd minha amiga mttt próxima, me mandava os prints dos longos textos que ele fazia pra ela pedindo uma nova chance. Eles não tinham uma relação de amizade e não eram amigos, no começo da quarentena ja estávamos namorando e ela me contou detalhes dizendo que ele era louco pra ter uma relação sexual com ela pelo fato dela ser virgem, e tinha fetiche nisso.
Passado um tempão, mais precisamente no começo desse mês, ela me avisou no WhatsApp que estava saindo com ele para uma adega onde tinha mais gente, e eu fiquei incomodado lógico e disse pra ela. Ela disse pra mim que estava de aliança (não acho que isso tenha um peso enorme positivo ou negativo na questão da minha insegurança), disse também que ele sabia que ela estava namorando e respeitava ela.
No dia seguinte postou um print da conversa dos dois dizendo que iam sair pra encontrar uma tal de Júlia no fim de semana. Quando vi isso não aguentei de tanto desconforto e fui conversar com ela. A minha namorada, foi totalmente grossa e disse: ele é só meu amigo vc tá cego ou o que?
Depois no Twitter os dois sempre apareciam respondendo as coisas um do outro, e se eu fizesse ao contrário de voltar a ter uma relação com uma pessoa da qual me relacionei no passado sei que causaria um desconforto enorme nela e com certeza seria falta de empatia com o que ela sente
Foi quando ela me disse que ia sair de novo pro mesmo lugar com ele e com as outras pessoas e eu desisti de tudo. Mas ela me convenceu a ir junto para ver que não havia nada demais. Fui junto e não conhecia ninguém lá, quando perto do fim, ela me perguntou se eu iria ficar bravo caso ela desse uma volta de moto com o Pedro Nessa hora eu não queria causar desconforto nenhum pra ela e disse que não e tava tudo bem. Mas com certeza fiquei muito incomodado e por uns minutos fiquei esperando sozinho e quieto lá no banco, mas ela voltou pois o amigo que emprestaria a moto aos dois não cedeu.
Aí nesse fim de semana ela chamou o Pedro no WhatsApp e disse que estava com saudades, mas ele tinha saído com uma pessoa e sumido aí ela se incomodou e postou no Twitter: “nunca mais falo que to com saudade” e ele respondeu: “🤔”
Quando vi isso fiquei totalmente desconfortável e pra baixo de novo, pois no fim de semana e no horário em que ela postou ela estava vindo pra cá passar o sábado comigo. Então não aguentei mais de tanta insegurança e mal estar e decidi conversar com ela
Fui conversar com ela com o propósito de resolver como desse, e ela disse que ou teria de lidar com isso ou terminar. E daí eu disse que não conseguia lidar com isso de tanto desconforto que me causa e terminamos.
Mas depois de umas horas ela me ligou e pediu pra que a gente se visse na mesma noite (ontem), veio aqui em casa e leu uma carta pra mim, e disse que queria resolver ou até mesmo fazer terapia de casal pra que a gente continuasse juntos. Ela me disse que eles não eram amigos antes mas que agora são, que ele respeita que ela esteja namorando, e não deu em cima e quanto terminamos, aliás disse pra ela que ele não via sentido em ser o motivo do término, e chamou ela pra sair no fim de semana pra não ficar mal.
Enfim, aconteceu que eu e ela voltamos mas não resolvemos isso ainda, eu tenho medo de estar sendo abusivo com ela mas realmente a situação de ela sair com o cara que ficava antes me deixa muito inseguro. Sei que é um problema meu, levei pra minha psicóloga e ela me disse que eles não são só amigos e deveria explicar isso pra ela, e como dada a opção, não estar mais no meio disso.
O que ela me disse aqui na conversa, foi que se fosse com uma menina não teria problema algum então pelo fato de ser com o Pedro ela acha que não tem nada a ver. Disse também que eles são só amigos e não tem nada demais. Chorou bem de leve e disse que não queria terminar comigo.
Acontece que ontem eu voltei com ela e disse que tava tudo bem. Mas hoje lembrei e todos os fatos e não consigo não me incomodar com isso. Ela já disse que não tá disposta a ceder nada e eu que deveria ceder isso 😫 e agora mano
submitted by Matheuskeeeeeee to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 07:02 Wide-Training8486 Ciúmes pelo meu melhor amigo vem me destruindo dia após dia.

Tenho 27 anos e faz 4 anos que não namoro. Todos meus namoros terminaram por traição por parte da garota, e isso ter sido em TODOS meus namoros acabou gerando uma culpa em mim, fazendo me sentir frustrado e desinteressante. Tinha 2 amigos e perdi meu melhor amigo que não fala comigo(pessoalmente) já a alguns meses (por motivo nenhum????) e apenas um amigo ainda joga comigo pelo PC. Não tenho muitos amigos, então boa parte das vezes jogamos apenas em duo. Esse meu amigo recentemente conheceu um outro cara legal que passou a jogar com a gente e eles tem se dado muito bem ate que as vezes ele sai de um jogo comigo pra jogar com o outro amigo e me deixa abandonado. Novamente aquele sentimento volta, não sou interessante nem mesmo pra manter uma relação de amizade com alguém que já esteve comigo por anos?? Sofri com depressão minha vida toda, sempre estou sozinho, tenho uma fobia social tão ridícula a ponto de evitar sair de casa ate mesmo com amigos de infância. Não sei mais o que fazer, todo mundo sempre me abandona, por mais que eu tente, lute, aprendi a gostar de coisas novas para manter amizades e mesmo assim sempre fico pra trás. Suicídio já passou por muitas vezes na minha cabeça como tem passado durante essa quarentena inteira e jogar com esse amigo era como uma terapia pra mim, agora abandonado já a alguns dias não tenho coragem de me abrir sentimentalmente (como amigo) para pedir ajuda a este amigo que aos poucos já se afasta também. Não sei mais pra qual lado é a luz desse túnel ou se quer se há uma luz.
submitted by Wide-Training8486 to desabafos [link] [comments]


2020.09.16 00:38 bobmonofree O PIX deve afetar de alguma forma aquele negócio de você ter que abrir conta no mesmo banco da empresa pra receber o salário? [resumo no primeiro parágrafo]

Resumo/NLNL/TLDR: quando entramos num emprego novo temos que abrir (caso ainda não tenhamos) uma conta no mesmo banco da empresa para recebermos o salário, sendo um dos argumentos que ficaria caro ficar transferindo o dinheiro para vários bancos diferentes (e que entre um mesmo banco não teria custos). Com a proposta de transferências mais bararas (gratuitas?) do PIX acham que essa prática de alguma forma será abandonada ou pelo menos perderá força, com o empregador fazendo o pagamento diretamente no banco de preferência do empregado?
Eu tava pensando nisso, hoje. Normalmente quando entramos num novo emprego temos que abrir conta no banco onde a empresa tem conta (caso ainda não tenhamos conta lá) para receber os salários.
Uma das justificativas seria que os bancos oferecem alguns atrativos/benefícios pra empresa fazer isso (afinal o banco estará ganhando um cliente a cada novo empregado naquela empresa e, querendo ou não, a tendência deve ser a galera passar a usar o banco onde recebe o salário).
Outra justificativa é a de que nesses casos o banco não cobra pelas transferências (talvez ppr ser tudo feito "lá dentro" mesmo?), então ficaria mais barato pro empregador do que ter que gastar tantos Reais pra transferir o salário pra cada empregado.
E o questionamento é justamente com relação a esse segundo ponto - supondo que o empregador não precisará pagar (ou que pagará muito pouco) pelas transferências via PIX caso cada funcionário tenha conta num banco será que deixaremos de ter aquela necessidade de abrir conta nesse ou naquele banco quando entrarmos numa nova empresa? Ou eu tô confundindo as bolas aqui e PIX não tem nada a ver com pagamento de salários (ou ainda pagamento de salários não tem nada a ver com uma "mera" transferência de dinheiro)?
submitted by bobmonofree to investimentos [link] [comments]


2020.09.15 20:53 abufinfo8 Eu era um babaca =)

Bom, eu era um babaca em meu relacionamento. Comecei a namorar uma garota, mais nova do que eu e eu agia de maneira babaca com ela. Quando começamos a namorar eu era um cara possessivo e ciumento, em níveis extremos. Não deixava ela falar com outros rapazes, tinha que ter total acesso ao celular dela, até mesmo chegamos a excluir nossas redes sociais devido ao meu ciume. E essa relação durou um bom tempo, recheada de diversas brigas e desentendimentos. Acredito eu que isso ocorreu devido a um relacionamento anterior, do qual eu sai muito magoado por ter sido traído, e acabei levando esse modo possessivo de ser por insegurança. Não é uma maneira de me defender, só o motivo que pode ter me levado a ser assim.
Bem, após perceber que meu relacionamento não iria para frente e entender que eu estava sendo muito babaca eu decidi terminar meu relacionamento, porém, ela gostava muito de mim e eu tbm gostava dela, o que nos levou a muitas discussões sobre terminar ou não, algumas saudáveis e outras não, então eu decidi tentar mudar. Procurei ajuda profissional e fui diagnosticado com depressão (além do relacionamento estava passando por questões profissionais delicadas), tomei medicamentos e fiz o tratamento. Após algum tempo lutando contra essa doença eu consegui finalizar algumas etapas dos meus estudos, consegui um bom emprego e me sentia inspirado para me desenvolver como pessoa. Isso também me ajudou no meu relacionamento, quase que do dia para noite eu comecei a me sentir seguro ao lado dela (e ela tbm me ajudou muito a enfrentar a depressão).
Assim mudei completamente minha forma de ser com ela (e confesso, no inicio ela se assustou com tal mudança e até pensou que eu não a amava mais), dei espaço para ela, falei para ela sair com as amigas dela, aumentar seu circulo de amizades. Mesmo que ainda tenhamos acesso livre ao celular um do outro eu não sinto mais aquela "necessidade" de olhar ele, na verdade até acho que fazem alguns anos que não pego o celular dela a não ser para tirarmos uma foto. As redes sociais voltaram para nossa vida. Somos muito mais abertos para conversarmos sobre tudo, sem medo. Voltamos a fazer planos juntos, a estudar junto e a buscar melhorar juntos.
E toda essa mudança me fez muito bem, me sinto mais leve, não sinto mais medo. E me sinto feliz ao lado dela, desejando sempre melhorar de vida na questão profissional para poder oferecer a ela tudo o que ela queira. Desejando também o sucesso profissional dela, que consiga tudo o que ela almeja, quero apoia-la nos momentos difíceis e aproveitar os bons momentos junto a ela. Quero que ela conquiste o Doutorado que ela tanto sonha e quero poder ajudar, mesmo que financeiramente a ela conquistar esse sonho, que ela consiga estudar fora também para ter a melhor experiencia que puder nessa fase da vida dela e eu quero estar lá, sendo feliz com e por ela!
Hoje estamos a 7 anos juntos, mais felizes do que nunca e lutando para alcançarmos nossos objetivos juntos. Ah, e nunca mais tivemos uma briga.
Aqui eu só quis desabafar sobre como eu consegui mudar, e que se alguém também sofre com o que eu sofria, dessa angustia de estar em um relacionamento com medo, saiba que você também pode mudar. Busque ajuda profissional, me ajudou bastante e o mais importante lute para conseguir melhorar, tanto por você tanto por quem você ama.
submitted by abufinfo8 to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 16:59 midnightroadstriker estou apaixonado novamente

eu sai de um relacionamento que era toxico pra mim, foi dificil terminar e saber lidar em estar sozinho, foi um namoro de 2 anos que começou no colégio e foi além dele, o relacionamento mais longo que tive. Porém, essa semana conheci uma garota mais nova que eu, sai com ela apenas uma vez, foi o melhor encontro que já tive na minha vida, foi do meu jeitinho sabe? eu pude ser EU, do inicio ao fim, sem medo, e eu não tiro ela da minha cabeça, e não sei como agir, eu não sei como é estar solteiro, não sei como tratar ou lidar com ela, ela tem 17, eu estou nos meus 20, e querendo ou não são outras realidades, eu estou na faculdade, ela ainda no colégio, eu não quero me precipitar e ficar muito encima, mas tambem quero vê-la novamente, quero mandar mensagem, nos já marcamos de sair novamente essa semana(Ela tambem adorou o encontro). e sobre eu não saber ficar solteiro, des que comecei a namorar, quando terminava uma relação começava outra, eu nunca fico solteiro, sempre tenho alguem comigo, toda vez que comecei a ficar com alguem se tornou algo sério, mas não quero colocar esse peso nela, nos só nos vimos 1 vez, eu to apaixonado. alguem tem alguma dica de como lidar com isso?
submitted by midnightroadstriker to desabafos [link] [comments]


2020.09.15 16:50 VBM97 Ronda portuguesa do FIA Mundial de Rallycross 2020 cancelada!

Ronda portuguesa do FIA Mundial de Rallycross 2020 cancelada!
Comunicado da Câmara Municipal de Montalegre
Tendo em conta as contínuas preocupações de saúde global em relação ao COVID-19 (Coronavírus), a evolução atual da pandemia em Portugal, o novo Estado de Contingência imposto pelas autoridades portuguesas a partir de 15 de setembro, que traz novas limitações às viagens internacionais e regras mais rígidas para eventos de massa, o World Rallycross de Portugal 2020, que teria lugar no Circuito Internacional de Montalegre nos dias 10 e 11 de outubro, infelizmente não vai acontecer este ano. A saúde e a segurança de todos os envolvidos continuam a ser a prioridade enquanto navegamos nestas circunstâncias sem precedentes. Estamos ansiosos para receber os pilotos, equipas e fãs no Circuito Internacional de Montalegre para este evento de classe mundial em 2021.
https://preview.redd.it/df660101rbn51.jpg?width=679&format=pjpg&auto=webp&s=2a273ee4aaea086834a1f9bcdec7c6f52b541958
A prova ia decorrer com porta fechada ao público, porém com a entrada do estado de contingência a prova acaba por ser cancelada e voltará em 2021. (Veremos se em 2021 já é possível voltar "à normalidade")
submitted by VBM97 to MotorsportPortugal [link] [comments]


2020.09.15 08:55 VentoVerde Governador de SP, vete a PL 558/2018 !

Por favor, amigos do Brasil, ajudem a compartilhar este email com a mensagem modelo e os endereços para impedirmos a crueldade do PL nº 558/2018.O Projeto de Lei nº 558/2018 segue para a sanção do governador Dória. Se ele VETAR, o projeto voltará para a ALESP e, por isso, é importante copiar os deputados estaduais na mensagem, instigando-os a não derrubar um eventual veto do governo.
Recebido pela ONG Olhar Animal por email:
Olhar Animal Sep 14, 2020, 9:44 PM (6 hours ago) to E-grupo Unsubscribe
Vamos RESISTIR e mostrar nossa INDIGNAÇÃO?
Este projeto autoriza a matança de animais EXÓTICOS, como CÃES e GATOS ferais, JAVALIS e POMBOS, entre muitos outros. Estão EM RISCO todos os animais de espécies que sejam ou que vierem a ser declaradas pelos órgãos ambientais como “invasoras e/ou nocivas”. Essa declaração é feita muitas vezes com base em critérios subjetivos, o que permite que interesses setoriais prevaleçam.
O Projeto de Lei nº 558/2018 segue para a sanção do governador Dória. Se ele VETAR, o projeto voltará para a ALESP e, por isso, é importante copiar os deputados estaduais na mensagem, instigando-os a não derrubar um eventual veto do governo.
ENVIE SUA MENSAGEM PARA O GOVERNADOR E OS DEPUTADOS ESTADUAIS! (Não encaminhe esta mesma mensagem. Copie e cole as informações abaixo em uma nova mensagem.)
Assunto: Governador, VETE o PL 558/2018!
Para: [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected])
CC: [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:tenentenascim[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected]), [[email protected]](mailto:[email protected])
Sugestão de mensagem:
Exmo. Sr. Governador João Dória (@jdoriajr), escrevo para manifestar minha INDIGNAÇÃO e REPÚDIO ao projeto de lei nº 558/2018, encaminhado para a sanção de V. Exª, projeto que tramitou em inapropriado regime de urgência e foi aprovado a “toque de caixa” no último dia 08/09.
Os motivos que me levam a pedir que este projeto seja VETADO são:
Ética - A caça aos animais exóticos permitida pelo PL 558/2018 é eticamente indefensável. Os animais são seres sencientes, organismos vivos que, além de apresentarem reações orgânicas ou físico-químicas aos processos que afetam o seu corpo (sensibilidade), percebem estas reações como estados mentais positivos ou negativos (consciência). Isto indica que naquele ser existe um indivíduo (um eu) que vivencia e experimenta as sensações. A capacidade de sofrer ou de desfrutar sensações torna estes seres dignos de igual consideração moral em relação aos humanos, dada a extrema relevância desta condição. Os animais devem ser tratados como, ou seja, com respeito a seus interesses próprios.
Inconstitucionalidade 1 - O PL 558/2018 é flagrantemente INCONSTITUCIONAL, violando frontalmente o artigo 255 da Constituição Federal. E também o artigo 32 da lei 9.605/1998, posto que não existe caça sem maus-tratos, obviedade admitida pelo Ibama na Nota Técnica nº 65/2018/COFIS/CGFIS/DIPRO. Lembramos que os maus-tratos alcançam também os CÃES utilizados nas perseguições, em especial na caça aos javalis. É inconstitucional também por ferir o princípio constitucional da eficiência, expresso no artigo 37 da Constituição Federal.
Inconstitucionalidade 2 - O PL 558/2018 fere também a Constituição Estadual de São Paulo em seu artigo 204, que determina: “Fica proibida a caça, sob qualquer pretexto, em todo o Estado.”
Ineficácia 1 - A caça é ABSOLUTAMENTE INEFICAZ como método de controle populacional, em particular no que se refere aos javalis, alvos que declaradamente motivaram o autor do PL a elaborar a norma. Quando questionado, o Ibama é INCAPAZ de comprovar a eficácia da caça para este controle, apresentando no máximo os números de animais abatidos, mas não prestando informação alguma sobre o impacto dos abates sobre a população de javalis, tão pouco comprovando seu decréscimo.
Ineficácia 2 - A caça só teve alguma efetividade para controle populacional de javalis quando ocorreu em regiões com delimitações geográficas importantes (como ilhas) e/ou climáticas (caso da Suécia) intransponíveis para a espécie atacada pelos humanos. Em um país continental como o Brasil, o espraiamento dos animais pressionados pela caça é inevitável, o que colabora com a ampliação da área com a presença destes animais e concorre para o aumento de sua população, lembrando que javalis que consomem uma grande diversidade de alimentos e facilmente se adaptam a novos ambientes.
Impactos para os animais nativos - A permissão de matança de animais exóticos acaba por afetar os animais nativos, seja por oportunizar o abate destes por caçadores previamente com esta intenção, seja pelos caçadores confundirem o alvo, a ponto de alvejarem companheiros de caçada. O uso de cães também contribui, pois não eles discriminam a caça e quando o caçador chega ao local onde os cães atacaram os animal nativo pouco há o que se fazer por ele.
Desvio de propósito - O próprio Ibama admite que apenas um método de controle não é suficiente, porém é o único em utilização no país, atestando que o objetivo da liberação da caça não é o controle populacional e sim a liberação da caça para entretenimento (esportiva). Prova disso é a soltura, feita por caçadores, de javalis e outros exóticos em áreas onde não eram encontrados (indicado na Nota Técnica do Ibama nº 13/2019/NUFAU-CP/COFIS/CGFIS/DIPRO), bem como a preservação da vida de filhotes a fim de que se tornem alvos desafiadores e troféus “dignos” mais adiante. Este desvio de propósito também colabora para o AUMENTO da população de javalis.
Promoção da violência - A matança de animais é um péssimo exemplo para a sociedade, banalizando a violência e promovendo o armamento da população.
A quem interessa a legalização da caça aos javalis e demais animais exóticos? - À indústria de armas, aos organizadores de evento de caça/turismo, a caçadores que podem externar sua perversidade sem sofrer sanções por isso. Já aos agricultores e à preservação ambiental, a caça não interessa, posto que a população de javalis só tende a aumentar.
Não resta dúvida de que a população de javalis e de outros animais exóticos DEVE SER CONTROLADA, mas por métodos ÉTICOS e EFICAZES e não pelo EMBUSTE representado pela caça, eufemisticamente chamada de “CONTROLE” e que tem por objetivo a liberação da matança indiscriminada de animais no país, intenção escancarada pelo deputado Carlão Pinhatari em seu projeto original, que permitia também o abate de animais SILVESTRES e DOMÉSTICOS.

Por tudo isso, solicito à V. Exª. que VETE o PL nº 558/2018.

submitted by VentoVerde to u/VentoVerde [link] [comments]


2020.09.15 06:37 Hike16 A destruição do tecido industrial brasileiro

Olá, camaradas, quero contribuir para esse sub com um texto que eu e uns camaradas escrevemos, pois acreditamos que os comunistas precisam ter mais acúmulo sobre o desenvolvimento das forças produtivas mas sem que isso se confunda com um desenvolvimentismo cretino. Estamo abertos ao debate, com críticas e apontamentos. Abraços!
Parte I – a importância da indústria
Modos de produção (e reprodução) da vida social são uma unidade de dois aspectos: relações de produção e forças produtivas. A esquerda brasileira em geral costuma com toda a justeza denunciar e almejar uma mudança quase que exclusivamente no primeiro. Cabe perceber que da mesma forma que as relações sociais capitalistas jamais teriam se generalizado se não houvesse o advento histórico da grande indústria de transformação, não pode haver relações de produção plenamente socialistas sem uma correspondente base material muito avançada.
Nesse sentido, quando olhamos o Brasil, vemos vários problemas na produção econômica em solo nacional. No que se relaciona mais diretamente com as relações de produção, vemos uma péssima distribuição da renda nacional, com um índice GINI – que busca esboçar a desigualdade em uma escala de 0 a 1, sendo 1 o mais desigual – de aproximadamente 0,53. Cabe ressaltar que, em países vizinhos, apesar da pobreza, o índice é menor, como é o caso da Colômbia (0,50), Uruguai (0,39), Bolívia (0,42) e Cuba (0,38). No tocante às forças produtivas, estas não são nem um pouco abundantes em termos relativos à população. Hoje, nosso PIB per capita fica na faixa dos 9 mil dólares anuais por pessoa, tendo tido o pico de 13 mil, em 2011. Não é um valor pequeno, de forma alguma, como se verifica em outros países muito mais assolados pelo rapinagem imperialista. Mas está muito longe de estar perto dos países de capitalismo autônomo e avançado, que figuram cifras acima dos 30 mil dólares anuais por pessoa.
É verdade que a produtividade nacional não se impõe como uma barreira imediata e intransponível para o início de uma nova ordem social, como, por exemplo, atesta a valente e forte experiência cubana, ou mesmo a revolução bolchevique partindo da Rússia semi-feudal. Talvez justamente por isso que a esquerda costume focar suas preocupações estratégicas (isto é, quando tem alguma) nos aspectos relativos às relações de produção, além de uma compreensível precaução de não voltar a incidir nas concepções etapistas da revolução brasileira. Trata-se de uma ressalva plenamente justificada: defender a ampliação das condições industriais e produtivas para poder socializá-las com qualidade à maioria da população. Não pode se confundir com ilusões no desenvolvimento da ordem capitalista ou ainda com pretensões nacionais da burguesia nativa, que hoje no Brasil é associada e profundamente dependente do imperialismo.
Ainda que o atraso nas bases econômicas não seja essa barreira intransponível para o início do processo socialista, certamente o é para o seu pleno desenvolvimento. Não pode haver florescimento das capacidades humanas para o/a trabalhadoa, seu ativo envolvimento na vida política e nos rumos do país, sem que haja uma base material arrojada que os libere do trabalho extenuante. Para um país se desenvolver plenamente rumo ao socialismo é condição necessária (mas não suficiente) que ele atinja grau de sofisticação bastante elevado em suas forças produtivas, como se verifica na história da União Soviética e também na China, onde o povo e a força dirigente tiveram que empenhar esforços colossais para superar o atraso tecnológico dessas sociedades. O avanço da revolução socialista nesses países fica tanto mais penoso e dificultado conforme menos desenvolvidas são essas forças produtivas e as relações de produção fruto de sua história.
Nesse sentido, cabe então colocar na ordem do dia o debate sobre os rumos que um país deve adotar para o desenvolvimento de suas capacidades produtivas e da geração de renda, serviços e produtos. A experiência histórica indica que uma indústria manufatureira desenvolvida é condição imprescindível para a geração de riqueza. Ainda que o estágio atual de desenvolvimento do capitalismo possa fazer parecer que o grosso da riqueza está se deslocando cada vez mais para o setor de serviços, sua base material ainda reside na manufatura, pois é na manufatura em que a maior parte do valor é agregada às mercadorias.
Além disso, os serviços sofisticados estão umbilicalmente conectados à indústria. Por exemplo, todos os serviços de informática estão assentados sobre o fato de existir um objeto físico, a saber um computador ou qualquer outro dispositivo, que possibilita a existência desse serviços. Além do mais, o domínio sobre tais serviços sofisticados necessita de um grande desenvolvimento e aprendizado tecnológico, e os países que têm tais domínios são justamente os que têm sua forças produtivas em um grau de maturidade mais avançado. A importância da indústria reside no fato de ser por meio dela que o trabalho humano pode desabrochar muitas de suas potencialidades, como a soma coordenada do trabalho de muitos operários, que é mais produtivo do que a soma simples das partes. Na produção manufatureira, diferentemente dos serviços, a finalidade é um produto, não uma atividade, e portanto a possibilidade de ampliar a produtividade possui menos restrições. Na indústria, temos por excelência a possibilidade de economia de escala e de escopo, que otimizam o potencial produtivo. Assim, sem uma indústria manufatureira desenvolvida, o caminho para a riqueza é impossível.
Entretanto, é comum nos depararmos com objeções postas pelos economistas ortodoxos (neoclássicos, e maiores apologistas da ordem). Para se contrapor à ideia de que uma base manufatureira fecunda é necessária para poder ter desenvolvimento econômico, eles remetem a uma noção desenvolvida por David Ricardo – as chamadas vantagens comparativas. Isto é, um país deveria se concentrar e se especializar em produzir o que ele sabe fazer melhor e com mais produtividade. Por exemplo: se um país tem vastas extensões de terras agricultáveis e recursos minerais abundantes, ele deveria se concentrar nesses setores. Sendo assim, seria capaz de aprimorar cada vez mais tais setores, e isso possibilitaria conseguir trocar suas mercadorias no mercado mundial com tamanha produtividade e eficiência com relação aos demais competidores, que de tal sorte ele conseguiria gerar excedentes e assim adquirir os demais bens que não é capaz de produzir, e se desenvolver – dizem tais mistificadores. Na prática, a vantagem comparativa dos países de capitalismo dependente é produzir bens primários enquanto que as vantagens dos países centrais são a produção de bens industriais de alta tecnologia. Para os defensores dessa visão, o Brasil deveria se focar em aumentar sua produtividade agropecuária e no setor de mineração, e assim as ditas “forças de mercado” conduziriam o país rumo a um crescimento econômico sustentado.
Essa visão é ingênua. De fato, nenhum país (exceto a Inglaterra, de onde tal ideia partiu) se desenvolveu apenas apostando nas suas vantagens comparativas, pois, inicialmente, ninguém dispõe como vantagem de ter forças produtivas avançadas: essas forças tiveram de ser desenvolvidas. Também podemos olhar para os países ricos e constataremos que são – adivinhe, sim! – os países mais industrializados. Se hoje alguns países com altos índices de riqueza per capita não possuem grande participação relativa da indústria, costuma ser porque nestes já houve um pico de industrialização, e agora eles têm grande participação de serviços industriais sofisticados, como a Austrália.
Por outro lado, não podemos cair em uma espécie de “industrialismo ingênuo”, como se tudo se resumisse a um desenvolvimento mais ou menos intrínseco das forças produtivas, ignorando as relações de produção, de propriedade e de trabalho que condicionam, ou em última instância determinam, a alocação do excedente econômico da sociedade. Não menos importante, há que se lembrar da geopolítica do imperialismo, que alavanca os países de capitalismo avançado através da rapina e exploração do restante do mundo, relegando a ele o atraso econômico e a miséria de sua população. Isto é, como via de regra, há sim grande correlação entre países ricos e desenvolvidos com o desenvolvimento de sua indústria, mas rejeitamos um argumento que tome a existência da indústria como explicação simples da riqueza destas nações, algo que simplifique essa questão numa resposta de causalidade unidirecional. Em linhas gerais, simplificadamente, podemos ver que o desenvolvimento industrial de países europeus e dos EUA ao longo do século XIX permitiu que estes gestassem em seu solo grandes monopólios e associações capitalistas que viriam a usar seus respectivos Estados nacionais para seus desígnios comerciais. Com a crescente exportação de capital e a consequente partilha do mundo entre as nações, criou-se uma ordem mundial muito hábil em sufocar os esforços de desenvolvimento autônomo dos demais países. Essa é a situação colocada no cenário internacional a partir do final do século XIX, mas que, mudando o que tem que ser mudado, vigora até os dias atuais com novas determinações. Portanto, ainda que ela tenha cumprido papel indispensável, não é pura e simplesmente pela industrialização que os países capitalistas ficaram ricos, e, nesse sentido, não será pela simples (que de simples não tem nada, na verdade) industrialização que o Brasil superará sua condição de penúria econômica e social – é preciso confrontar a dominação imperialista e seus agentes internos.
Parte II – a tragédia brasileira
Uma coisa importante nem sempre percebida sobre a industrialização de um país é que não basta termos uma boa participação quantitativa industrial na economia nacional para podermos usufruir de todo o potencial qualitativo da indústria. Há uma significativa diferença entre ter indústria e ter um complexo industrial. Isto é, o importante não é apenas ter várias indústrias, mas tê-las em setores que estejam ligados entre si, fornecendo e absorvendo a produção umas das outras. A importância de ter toda a cadeia produtiva em solo nacional é evidente: cada parcela de excedente fica aqui, movimentando a nossa economia. Mais que isso, num momento de instabilidade, de alta demanda por algum produto – como são os ventiladores pulmonares durante a pandemia atual -, vemos que não basta ter dinheiro para querer comprar – quem produz é quem tem vantagem. Se hoje parece “comum” a situação de atraso industrial do Brasil em relação ao mundo, cabe dizer que nem sempre foi assim. A situação atual é produto direto do processo de aprofundamento da dependência e associação das classes dirigentes nacionais ao imperialismo.
Enquanto é verdade que no ano de 1930 o Brasil não viveu uma revolução, o deslocamento das frações de classe no poder alçou a industrialização no país, até então dominado pelas elites rurais. O governo de Getúlio criou importantes bases para que o capitalismo pudesse se desenvolver com força nas cidades, promovendo a industrialização do país. Ao longo das décadas de 1950 até 1970, o Brasil passou por um intenso processo de industrialização, passando de um país essencialmente agrário para uma economia com forças produtivas bastante desenvolvidas, no final da década de 70. O Brasil foi um dos países que mais rápido se industrializou no mundo, tendo atingido taxas volumosas de crescimento. Esse projeto desenvolvimentista teve sua origem nos governos Getúlio Vargas e JK, com a criação de empresas como a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN, financiada pelos EUA em troca da participação do Brasil na II Guerra Mundial) e a Petrobras, que tiveram seu caráter estatal garantido por intensa campanha popular.
Mesmo durante o regime civil-militar, esse projeto desenvolvimentista não foi abandonado – estando presente através do I PND e II PND (Plano Nacional de Desenvolvimento). Apesar de estar umbilicalmente ligado ao capital internacional, esse projeto não era tão subserviente ao modo que vemos no governo atual. De fato, durante a ditadura civil-militar, o imperialismo ampliou sua dominação sobre o Brasil, mas isso não impediu tais projetos de terem pontualmente desacordos com os interesses imperialistas, como o programa nuclear brasileiro, por exemplo. O combustível para esse desenvolvimento era crédito internacional barato e de longo prazo, e grandes obras de infraestrutura. No ano de 1979, em virtude das crises do petróleo, houve um choque internacional nas taxas de juros, elevando substancialmente o preço do crédito, o que foi um golpe fatal nesse modelo desenvolvimentista. Como consequência disso, ao longo da década de 1980, a economia brasileira sofreu com crise na balança de pagamentos e calote na dívida externa, que havia aumentado massivamente no período anterior e hiperinflação. A estagnação da década de 80 marca o fim do modelo nacional desenvolvimentista.
Ao início da década de 80, a indústria representava algo em torno de 40% da produção nacional, enquanto que, ao longo dos anos 2000, foi para a casa dos 23%, e hoje, com a crise continuada, estamos estacionados nos 18%. Em muitos países, é comum ver uma diminuição relativa da participação industrial em favor do setor de serviços; trata-se de uma tendência geral. Entretanto, os países de capitalismo desenvolvido o fazem após terem obtido um grau de sofisticação industrial que permitiu o desenvolvimento de serviços de alto valor agregado (o chamado de arco da industrialização) – caminho esse que o Brasil definitivamente não seguiu, pois nossa economia apenas diminuiu sua complexidade. Vejamos o que aconteceu que nos conduziu nesse descaminho:
Ao longo de década de 1990, a economia brasileira passa por uma série de transformações importantes com a adoção das políticas econômicas do “Consenso de Washington”. Ou seja, houve uma brusca abertura comercial, uma série de privatizações, além de medidas para a estabilização monetária (Plano Real) – como uma sobrevalorização cambial e altíssima taxa de juros, tendo a SELIC chegado a 40% ao ano. As medidas do Consenso são excessivamente rigorosas, e verdadeiramente implacáveis contra a indústria. A manufatura brasileira, que se desenvolveu com um amplo protecionismo, era posta desnuda para disputar no mercado mundial. Medidas como sobrevalorização cambial e alta taxa de juros, que eram para ser passageiras para a estabilização monetária, se tornaram o padrão, mas são péssimas para a indústria, e contribuíram significativamente para a manufatura brasileira estar nesse atoleiro.
De toda forma, durante os anos 2000, o Brasil pôde finalmente desenvolver sua economia, com uma moeda estável e inflação controlada. Nesse período, o mundo viu a ascensão de um novo gigante econômico: a China, com sua produção manufatureira abundante e barata, e sua colossal demanda por gêneros agropecuários e minerais, que contribuiu para a alta do preço das commodities, experienciada no período. Assim, conjunturalmente, foi vantajoso para o Brasil aumentar sua produção agropecuária e extrativista para a exportação, enquanto que o câmbio, muito valorizado no período, tornava a importação de manufaturas muito mais em conta do que o estímulo à produção interna. O interesse governamental imediato de segurar a inflação se contrapôs no médio prazo à vitalidade de nossa indústria. Assim, com uma melhoria conjuntural, o Brasil acabou por diminuir a complexidade de sua economia, e aprofundou sua dependência econômica de forma estrutural.
Em 2011, era claro para o governo e para os industriais que o cenário macroeconômico precisava mudar para dar chance à nossa indústria. Foi então que este começou a abandonar a gestão super-ortodoxa da economia e passou a adotar a chamada “Nova Matriz Econômica”, vulgo “Agenda FIESP” – grande proponente e articuladora da mudança. Tratava-se de uma diminuição dos investimentos públicos e ampliação das desonerações fiscais, além de uma baixa nos juros e alguma desvalorização cambial, visando a dar mais espaço e competitividade ao nosso setor industrial. Ocorre que não bastavam condições macroeconômicas para que nossa tecnologicamente atrasada indústria nacional pudesse alcançar o desempenho de suas congêneres mundiais. Mais ainda: nesse período, o mundo começou a testemunhar a diminuição do preço das commodities, que, junto da mudança que a economia brasileira vinha operando, diminuiu radicalmente nossa balança comercial e a arrecadação do governo. As desonerações, ao invés de induzirem os investimentos industriais, serviram apenas para os empresários aumentarem suas margens de lucro.
Em 2015, o segundo mandato de Dilma inicia com um verdadeiro estelionato eleitoral, praticando uma agenda econômica exatamente ao contrário do que dizia nas eleições de 2014. A forma de buscar ajustar a situação fiscal do Brasil foi pela agenda ultra reacionária e anti-povo comandada pelo banqueiro Joaquim Levy, que promoveu inúmeros cortes no orçamento na área de bem-estar social e subiu a taxa SELIC para 14,25% ao ano. Desde então, com o decorrer do golpe de 2016, o debate econômico no Brasil parece ter se reduzido somente ao controle fiscal, com a visão ortodoxa hegemônica condenando por princípio os gastos públicos. O câmbio de fato começou a tornar-se mais favorável à indústria, mas faltava o ambiente político e a coordenação institucional para incentivar os industriais a retomar os investimentos. A verdade é que esse setor, como o restante da burguesia, tem muito pouco compromisso com o país para além de sua rentabilidade pessoal. É preferível para estes girar seu capital para a especulação do que tomar os riscos do investimento produtivo, que poderia induzir um crescimento geral.
Para coroar esse processo, tivemos ainda a contribuição da Lava-Jato, operação articulada a partir dos EUA com o intuito de promover um completo massacre no cenário político e econômico brasileiro, nos tornando presas fáceis para o recrudescimento da dominação imperialista. Os efeitos sobre a política todos já conhecem, mas é importante ressaltar que a vilania lava-jatista também recaiu sobre setores-chave de nossa economia. Dentre as várias “inovações jurídicas” da Lava-Jato, a que mais tocou a indústria foi a pena imposta às empresas cujos dirigentes se envolveram em escândalos de corrupção, de impedi-las de participar de licitações por alguns anos. Trata-se de um tremendo absurdo, uma vez que quem fez o ilícito foram pessoas físicas, ainda que dirigentes das empresas. Impedir as empresas de acessarem projetos públicos, na verdade, é impedir o governo de executar suas obras com o melhor da engenharia nacional – que, importante dizer, infelizmente está concentrada em poucos monopólios, tão suscetíveis a esses escândalos. A promiscuidade entre poder público e poder econômico privado é algo imanente no capitalismo; portanto, não se trata aqui de uma defesa moralista de separar o joio do trigo para defender os “empresários honestos”. Trata-se tão somente de denunciar uma medida da justiça destinada a essa finalidade, que não contribui em nada para o combate à corrupção, e somente cria auto-entraves ao desenvolvimento de nossas forças produtivas.
Com isso, vimos pararem as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ) e da Refinaria Abreu e Lima em Pernambuco, que acrescentariam enormemente nossa capacidade de refino; podemos citar ainda a Linha 6 do metrô de São Paulo, a Usina Angra 3 da Estação Nuclear Almirante Álvaro Alberto, e outros 90 bilhões de reais em obras paradas que de alguma forma foram afetadas pela Lava-Jato. Mais ainda, a longa saga do submarino nuclear brasileiro (tecnologia que fornece um salto de qualidade operacional à embarcação, essencial para uma marinha contemporânea) também foi interrompida. Nesse caso, não apenas pelo fato de somente a Odebrecht ter capacidade de engenharia para tal empreendimento, como pela vagamente motivada prisão do Almirante Othon, engenheiro-militar brasileiro articulador da tecnologia nuclear no país. Soma-se a isso também a série de operações como a “Carne Fraca” de 2017, que visaram a alcançar frigoríficos do país, afetando duramente sua capacidade de exportação e competição com os monopólios norte-americanos. Ainda que saibamos bem o que significam essas empresas no Brasil, desde a exploração e falta de qualidade de trabalho de seus funcionários até a compra de políticos, não devemos ter dúvidas de que, ainda que não seja essa sua razão de ser, sua participação no mercado mundial é antagônica aos interesses estadunidenses, principalmente neste período de crise mundial continuada. Evidência disso é que, mesmo com a divisão internacional do trabalho empurrando o Brasil para a produção de commodities, os EUA se beneficiaram em 2019 com a política externa imbecil de Bolsonaro, e ampliaram sua exportação de soja para a China no vácuo por nós deixado.
Ao fim e ao cabo, temos o cenário atual, em que a participação da indústria é diminuta (e cada vez menos complexa), os serviços são cada vez menos sofisticados e o setor primário é o salvador da balança comercial. Entretanto, seja no setor da indústria, seja nos serviços, na agropecuária, no mundo financeiro, é imprescindível não perder de vista o caráter dependente e simultaneamente associado de nossa burguesia nativa em relação ao imperialismo. Ela se desenvolveu como “sócia-menor” dos empreendimentos do capitalismo central em nosso país, e desde o golpe de 64 o imperialismo é o setor hegemônico do bloco de forças dominantes no Brasil. Sendo dependente, nossa burguesia articula internamente sua dominação de modo a sufocar as classes subalternas, tanto econômica quanto politicamente, em patamares muito mais intensos do que é necessário no “centro”. Sendo associada, a burguesia nativa brasileira está confortável com essa situação de subordinação, e não possui qualquer projeto como classe para alçar o Brasil a uma condição de capitalismo autônomo, tecnologicamente avançado. Assim, o desenvolvimento tecnológico e em escala de nossa indústria deve ser visto como mais um dos momentos internos ao processo de revolução socialista no Brasil. Trata-se de mais uma das “tarefas nacional-populares”, junto às reformas agrária, urbana, educacional, tributária etc. que a burguesia nativa, diferentemente de suas congêneres europeias, não precisou realizar para instalar sua dominação. Ao contrário de interditá-las por definitivo, a burguesia na verdade joga tais tarefas para as classes subalternas, que deverão cumprí-las no percurso do processo radical de transformação social – como momento interno, e, portanto, não como etapas precedentes – que irá destruir a dominação burguesa (interna e externa) em nossas terras e construir um Brasil livre, soberano, popular e socialista!
submitted by Hike16 to SocialismoBrasileiro [link] [comments]


2020.09.15 04:31 Humble_Author4284 melhor amigo?

Vai ser um pouco longo, so avisandokk
Bom, tudo começou em 2017 quando eu me mudei de cidade e escola, tudo novo. Mas logo no segundo dia ja consegui fazer amizades e taus com 2 meninas (vamos chama-las de mile e ana) e um menino (vamos chama-lo de gabriel). Eles eram super gente boa e me acolheram da melhor forma possivel.
Em 2018 esse nosso grupinho foi se afastando mais quando a mile saiu da escola e a ana começou a ficar mais com as outras amizades dela, mas isso não impedia da gente ainda se falar. Com tudo isso, naquela epoca eu e o gabriel nos aproximamos muito e faziamos tudo juntos, conversavamos sobre tudo, saiamos juntos, era muito foda ter aquela sensação te ter so eu e ele conversando sobre coisas que so eu e ele entendiamos.
Em 2019 a nossa amizade continuou a mesma, mas começamos a ficar mais junto porque a outra ana mudou de sala para ficar com as amigas dela. A gente tava super de boa com isso e taus, mas a gente começou a se afastar um pouco dela, mas nada impedia a gente de dar um oi pelos corredores.
Em março de 2019 eu tive que voltar para a cidade que eu tinha vindo antes de ir para essa, e obviamente eu fiquei muito abalado pq de tanto eu e o gabriel ficarmos juntos, a gente não se preocupou tanto em expandir o nosso circulo social.
(alguns fatos sobre ele que eu esqueci de citar: ele nunca foi muito de sair de casa e nós íamos call todos os dias depois da escola. Não sei se isso vai fazer alguma diferença no futuro da historia mas fizer ta ai)
Continuando.
Obviamente foi otimo voltar pra minha cidade onde eu ja conhecia muitas pessoas que eu tinha crescido junto, e eu ainda ia estudar na mesma escola que eu tinha estudado no passado, então todos os meus antigos amigos estavam la. Mas como o tempo é foda, tudo muda ne. Algumas pessoas não foram mais as mesmas comigo, algumas foram, mas isso é normal.
Desde o começo quando eu voltei eu me sentia meio deslocado naquele ambiente pois algumas pessoas tinhas novas amizades, e eu sou muito timido pra chegar em alguem e falar um oi (tanto que eu demorei 1 semana pra começar a falar com alguem la e ainda era alguem que eu ja conhecia). Mas sempre que eu chegava da escola eu sempre conversava com o gabriel e desabafavamos sobre como as nossas vidas são solitarias e tristes (draminhas).
A nossa relação continuou assim por um tempo, ate que como o de costume a gente foi se afastando um pouco, mas eu sempre tentava mandar um oi e começar uma conversa (ponto importante que eu sempre que mandava o primeiro oi. ele literalmente só meu mandou 1 mensagem pra conversar pq ele tava entediado)
No começo eu obviamente estranhei pq segundo ele eu era o unico amigo dele (pq ele disse que todas as pessoas que falavam com a gente na epoca não falavam mais com ele). Então na minha mente eu imaginava que eu precisava sempre mandar mensagem pq ele dizia que ngm falava com ele (e eu tbm n).
Com o tempo ele começou a não me responder mais e eu ficava sempre muito incomodado com isso, mas sempre que ele respondia mesmo que só um pouco eu ja me satisfazia e "perdoava" ele (as famosas migalhas).
Eu fui me acostumando com isso por um tempo, até que a quarentena começou e literalmente eu só conversava com 2 pessoas (ele e uma outra amiga de outro estado que não vem ao caso na historia). Ou seja, pra eu manter a minha mente sociavel com alguem eu tinha que depender dele que não me respondia só raramente, e dela que é muito ocupada.
Tinham umas epocas que era quase previsto, quando a gente começava a conversar e talvez ir uma call, a gente ficava nesse fluxo por uma semana mais ou menos, e depois disso eu ja sabia que ele ia ficar um bom tempo sem falar comigo de novo.
Eu sei que você pode estar pensando por exemplo que ele quer espaço essas coisa, e eu sei disso, todo mundo precisa eu respeito, tanto que quando eu sei que ele vai passar esse tempo sem falar eu nem tento mandar. Mas recentemente a gente marcou de ver a minha serie favorita, e na hora que ele aceitou ver eu fiquei na maior euforia do mundo, pq 1- eu consegui convencer ele a falar comigo por um tempo; e 2- alguem no mundo tbm ia conhecer essa serie pq quase ninguem no brasil conhece; e 3- que ele tinha realmente gostado da serie quando eu mandei o trailer; mas voltando.
A gente tinha marcado pro dia seguinte assistir, mas não marcamos a hora, então quando chegou o dia eu perguntei pra ele quando eu poderia ligar pra ele e a gente começar a assistir, mas ai se passaram 1, 2, 5 horas e ele não respondeu, eu pensei q sla, ele tava ocupado ou não poderia ver a mensagem, mas no dia seguinte que eu fui ver, ele tinha visualizado e não tinha falado nada. Eu sei, eu juro que é sla, ele pode não poder assistir naquela hora, ou ate não quisesse mesmo, mas custava pelo menos ele responder "não vai dar"?
Eu tinha aceitado ele não falar comigo por um tempo essas coisas, mas eu realmente tinha ficado muito animado na noite anterior (muito mesmo), e ele só ignorou a mensagem.
As vezes eu penso que ele não precisa mais de mim ou coisa do tipo pq ele me disse que comçou a falar todos os dias com um ex amigo nosso e q ele tava gostando dele, eu ovbiamente fiquei feliz por ele (ate pq os antigos relacionamentos dele não foram uns dos melhores, e aparentemente esse cara tbm tava gostando dele ent eu tava de boa), mas eu só me pego imaginando que agr que ele tem ele ele não precisa mais de mim e taus (pq quando ele me disse que tava gostando dele e que ele tava conversando munto com ele por um tempo foi quando ele comçou a realmente se afastar). Eu não sei.
Eu sei se você conseguem me entender, até eu mesmo to me achando meio deplorável lendo isso, mas eu só queria saber se eu que to enchendo o saco ou as minhas paranoias estão certas.
(Mesmo que doa, se for o caso, me digam se eu to errado, pq eu não consigo me auto julgar sem pensar que é coisa da minha cabeça)
submitted by Humble_Author4284 to desabafos [link] [comments]


2020.09.14 17:42 Topac1 Alguem recebeo o mail " notificação oficial sobre possiveis violações

Recebi este mail que deve ser spam que esta muito bem feito e redigido para que se abra o anexo ZIP onde deve estar um possivel virus
Tenham cuidado com o mail que deixo em baixo
"Gostaríamos de o informar de que serão adotadas novas medidas contra a sua empresa a partir do próximo mês. Ainda não recebemos uma resposta da sua parte relativamente à queixa que recebemos a Março 2020 .
Esta é uma notificação oficial (segundo aviso) acerca de uma investigação pela nossa equipa (Autoridade para as Condições do Trabalho - ACT).
A queixa recebida em relação à sua empresa inclui violação de mão de obra durante um período de crise.
A razão principal descrita refere-se à incapacidade da sua empresa em adaptar-se e respeitar a legislação urgente durante este período.
Já começou uma investigação e esta aponta para o período de março – maio de 2020.
Conforme exigido por lei, o queixoso permanecerá anónimo até que comece um possível julgamento.
Possíveis sanções:
a suspensão da atividade da sua empresa na nossa plataforma, incluindo a suspensão de outros serviços de outras organizações; uma queixa junto do procurador local; possível processo privado contra a sua empresa pelo queixoso;
Os detalhes da queixa e investigação foram anexados a esta mensagem. Por favor, leia os documentos em anexo e responda adequadamente. Incluímos a queixa redigida e as acusações exatas.
Também pode encontrar os dados de contacto da pessoa responsável pelo seu caso no documento em anexo.
Obrigado!"
submitted by Topac1 to portugal [link] [comments]


Nova relação do mobile 😎 - YouTube NOVA RELAÇÃO 🧙‍♂️ - YouTube Monja Coen no avosidade ~~ nova relação - YouTube A Nova Relação Médico Paciente Nova relaçao - YouTube NOVA RELAÇÃO SANTOS - YouTube Ninja 400 - Nova Relação e Pneus

Nova Relação - Livro - WOOK

  1. Nova relação do mobile 😎 - YouTube
  2. NOVA RELAÇÃO 🧙‍♂️ - YouTube
  3. Monja Coen no avosidade ~~ nova relação - YouTube
  4. A Nova Relação Médico Paciente
  5. Nova relaçao - YouTube
  6. NOVA RELAÇÃO SANTOS - YouTube
  7. Ninja 400 - Nova Relação e Pneus
  8. Lançamento do Livro - Nova Relação - de António Coimbra de Matos - Climepsi Editores
  9. Nova relação de trabalho All work and All Play legendado Pt Br

Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. MEU INSTAGRAM 👇 https://www.instagram.com/bruxo767.ff/ LOUD WILL ME REAGI . . . . . #godmenota #freefirebrasil #losgrandesfreefire #losgrandes #freefireguild... https://youtu.be/vFKcp4LymNQ Live sobre o fundamento do Direito Médico: a relação entre o médico e o seu paciente. Lançamento do Livro Nova Relação (Climepsi Editores) de António Coimbra de Matos 10 Novembro 2016, Auditório do Centro Universitário da Univ. LISBOA Caleidoscópio - Jardim do Campo Grande ... Monja Coen fala com sabedoria sobre o significado da nova relação com a criança Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. A nova geração está revolucionando a relação com o trabalho. Para eles, tão importante quanto o salário é a qualidade de vida e o prazer em realizar a atividade. Ninja 400 - Nova Relação e Pneus Wennon07. Loading... Unsubscribe from Wennon07? ... Hoje trago para vocês um vídeo meu na Rota K trocando pneus, relação e fazendo o recall